Milho no mundo: preços desestimulam compras

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Leonardo Gottems
MERCADO

Milho no mundo: preços desestimulam compras

Na Argentina, a pressão também veio para os valores FOB  Up  River
Por: -Leonardo Gottems

De acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica, os preços do milho no mercado internacional estão muito altos e desestimulam as compras. Nos  mercados  à  vista  asiáticos,  a  atividade  de  comércio  da  Coreia  do  Sul  permaneceu  lenta,  já  que  os compradores não cobriram sua demanda devido aos altos preços do  milho e taxas de  frete  que tornam quase impossível negociar nos mercados de destino. 

“Na China,  os  futuros  do  milho  na  Bolsa  de  Dalian recuaram um pouco com o contrato de maio registrado a CNY 2.681/t (US $ 409,58/t) abaixo de CNY22/t.  As ofertas de milho para o Vietnã para carregamento em junho, entregues nos portos do sul do país, ficaram em  US  $  296,90/t,  enquanto  as  posições  para carregamento  em  julho  ficaram  na  faixa  de  US  $  287-291/t CIF Hai Phong, no norte do país”, comenta a consultoria. 

Os mercados do Mar Negro e da União Europeia permaneceram calmos com o milho sendo oferecido em meados de € 220/t FOB CVB para carregamento próximo em abril-maio. “Na Ucrânia, os compradores estão segurando suas ofertas na esperança de que as ofertas diminuam ainda mais, com o milho ofertado a 262/t FOB Mykolaiv para entrega em maio.  As ofertas em uma base FOB HiPP foram ouvidas em US $ 264/t para maio. Um panamax para carregamento em abril com documentos para a China foi oferecido a US $ 270/t FOB Ucrânia, enquanto  os  compradores  estão  mirando  em  US  $ 260/t”, completa. 

“Na Argentina, a pressão também veio para os valores FOB  Up  River,  onde  as  ofertas  para  maio  caíram  para 45 centavos em relação a maio, enfrentando ofertas de 38 centavos.  Correram boatos de que a Argentina vendeu cargas de milho ao Brasil nos últimos dias, depois que o preço doméstico no vizinho do norte estabeleceu uma nova alta de R $ 101,4 / saca”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink