Milho safrinha de MT cresceu 35 mil hectares além da estimativa inicial
CI
Agronegócio

Milho safrinha de MT cresceu 35 mil hectares além da estimativa inicial

Área revisada para cima
Por:
Em mais uma estimativa, o Imea reajustou projeções. Oeste e nordeste ampliaram a cobertura neste ciclo

Quando tudo parecia definido na segunda safra do milho, em Mato Grosso, veio a surpresa: a área recuou menos do que o esperado. Duas regiões acreditaram na cultura e ampliaram a superfície – na contramão do registrado no Estado – e o clima vem ajudando o desenvolvimento, com chuvas atípicas para esta época. Em função desses novos fatores, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) reajustou para cima a área plantada com a cultura, ao elaborar o quinto levantamento da safra 2013/14 do milho safrinha. Houve ganho espacial de 35 mil hectares, todos localizados ao oeste e nordeste de Mato Grosso.


Como frisam os analistas do Imea, o levantamento do mês de maio traz pequenas alterações apenas para a expectativa de área e produção em Mato Grosso. “Em virtude das inconsistências climáticas, algumas regiões do Estado estão apresentando chuvas atípicas para esta época do ano. Assim, até o final do desenvolvimento das lavouras de milho neste ciclo, a produtividade em campo pode ser alterada, sobretudo, na área de milho semeada fora da janela ideal, ou seja, depois do final de fevereiro. Com isso, a expectativa de produtividade foi mantida a mesma do último levantamento com média de 85,4 sacas/hectare para o Estado, representando uma queda de 15,82% em relação à safra passada”.

Já para a estimativa de área, o novo levantamento trouxe um incremento de pouco mais de 35 mil hectares em relação à expectativa de março, em virtude da continuidade de semeadura de algumas áreas fora da janela e que não fizeram parte do último levantamento. Com isso, a nova área de milho do Estado foi alterada para 3 milhões de hectares, representando uma queda de 18,8% ou 695 mil hectares em relação à safra 2012/13. Até março, o Imea projetava área plantada de 2,97 milhões de hectares. “Com as novas áreas estimadas para o milho, apesar de o Estado apresentar recuo de área nesta safra em relação à 2012/13, as regiões oeste e nordeste do Estado apresentam ganho de área em relação à temporada anterior”.


Essas porções do Estado são as únicas em ascensão, já que todas as outras recuaram na preferência pelo cereal. A região nordeste, avançou a cobertura em 0,95% ao passar de 254,71 mil hectares para 257,12 mil. No oeste, o incremento anual foi de 4,33%, de 375,80 mil para 392,09 mil hectares. Apesar do incremento dessas duas regiões, todas têm projeções negativas de produção e produtividade, quando comparadas ao ano passado.

Como lembram os analistas, o recuo na preferência pelo milho como opção de segunda safra foi motivado pela falta de perspectivas que havia em torno do cereal até o segundo semestre do ano passado, quando a decisão do que plantar e quanto plantar é tomada pelo produtor. Naquele momento, em função de duas produções recordes e seguidas no Estado e de sinalizações de freio na demanda pelo cereal, o mercado futuro – aquele em que a produção é comercializada antes mesmo de ser plantada para que o produtor pegue o dinheiro para comprar os insumos necessários – não se mostrava atrativo (rentável) à cultura e quem pôde, optou pelo algodão como opção de segunda safra. No entanto, durante o plantio do grão, o mercado reagiu e alguns agricultores aproveitaram para esticar a janela, e plantaram um pouco mais do que haviam previsto.


VOLUME - Com as alterações realizadas apenas na expectativa de área de milho em Mato Grosso, a produção do Estado foi variada apenas em função desta alteração. Com expectativa de produção de 15,38 milhões de toneladas para a temporada 2013/14, representando um recuo de 31,7% ou 7,16 milhões de toneladas em relação aos 22,54 milhões de toneladas produzidos na safra passada. Até março o Imea trabalhava com volume estimado de 15,23 milhões de toneladas.

EXPORTAÇÕES - De acordo com os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações mato-grossenses de milho da safra 2012/13 totalizaram volume de 13,58 milhões de toneladas exportadas entre agosto de 2013 e abril de 2014, aumento de 13% em relação ao mesmo período da safra 2011/12. Somente a partir de fevereiro os acumulados mensais de embarques do cereal começaram a registrar volumes inferiores aos da temporada anterior. Abril foi o mês que apresentou a maior queda no comparativo com o mesmo período do ano passado, de 96%, com apenas 2,77 mil toneladas enviadas ao exterior, gerando US$ 831,03 mil. No comparativo com o volume exportado em março de 2014 o montante de abril é 95% inferior, reflexo da intensificação das exportações mato-grossenses de soja em grão, que teve sua janela de exportação iniciada um mês mais cedo que em 2013 devido à forte demanda mundial pela oleaginosa nesta safra.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink