Minas bate o Paraná na produção de cana

Agronegócio

Minas bate o Paraná na produção de cana

Por:
237 acessos

A nova estimativa da safra de grãos para 2009 indica uma produção ainda menor do que a prevista anteriormente. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta uma produção de 135 milhões de toneladas, ante 136 milhões de toneladas estimados anteriormente. Esse volume é 7,5% inferior aos 145,8 milhões de toneladas obtidas no ano passado. A produção de grãos em Minas registrou estabilidade, apresentando queda de 0,85% (10.205.493 toneladas) e 0,78% na área a ser colhida (2.784.614 hectares) no comparativo com 2008. Em maio, o Estado assumiu, pela primeira vez, a segunda colocação na produção nacional de cana-de-açúcar, ultrapassando o Paraná e atrás apenas do Estado de São Paulo.

“Enquanto o Sul do país foi castigado pela estiagem, e o Nordeste pelas chuvas, em Minas, as condições climáticas ajudaram”, avaliou o supervisor de produtos agropecuários do IBGE em Minas, Humberto Silva Augusto.
Em dez anos, a produção de cana do Estado triplicou, atingindo a marca de 5.939.897 toneladas, numa área a ser colhida de 677.369 ha. A cana contabilizada nesse levantamento é aquela destinada à indústria de açúcar, álcool, cachaça e rapadura, não sendo considerada a utilizada na alimentação animal. O crescimento da produção em relação ao ano anterior é de 12,57%, enquanto a expansão da área a ser colhida é de 11,36%.

Nacionalmente, dos 25 produtos avaliados, dez apresentarão alta, segundo a projeção do IBGE. Os destaques deverão ser o feijão de 1ª safra (7%), amendoim em casca 2ª safra (14,2%), arroz (5,8%), cebola (8%) e cana-de-açúcar (6,4%). As quedas mais acentuadas atingirão as produções de algodão herbáceo em caroço (-24,3%), café (-13,8%), trigo em grão (-2,9%) e milho em grão 1ª safra (-16,2%). Em Minas, todas as dez regiões de planejamento do Estado apresentaram incremento de área colhida e produção, exceto a Zona da Mata. A principal região produtora é o Triângulo Mineiro, com 64,03% da produção e 60,29% da área a ser colhida, onde se localiza a maioria das usinas de açúcar e álcool. Percebe-se também grande expansão da culturas nas regiões Centro-Oeste, Alto Paranaíba e Noroeste.

No mês de maio, já se tem os dados de todos os grãos que fazem parte do levantamento de Minas, inclusive com a primeira informação do feijão 3ª safra. Esse produto apresentou queda considerável na produção (23,78%) e na área a ser colhida (20,50%), em consequência do desinteresse dos produtores.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink