Missão brasileira avança na reversão de barreiras comerciais

Agronegócio

Missão brasileira avança na reversão de barreiras comerciais

Próximo desafio será destravar embargo da África do Sul à carne suína
Por:
598 acessos
Série de encontros permitiu progressos para acordos futuros com a União Europeia. Próximo desafio será destravar embargo da África do Sul à carne suína do Brasil


A missão brasileira que está na Bélgica e que chegará na África do Sul ainda nesta semana conseguiu avanços importantes nos compromissos realizados no dia 20 e 21 de junho. Liderada pelo diretor de negociações Sanitárias e Fitossanitárias do Ministério da Agricultura, Otávio Hermont Cançado, a comitiva participou de reuniões e eventos com o objetivo de negociar exigências que impedem o aumento das vendas de produtos agrícolas brasileiros para os consumidores europeus e africanos.


Nessa terça-feira, o diretor do Ministério da Agricultura discursou para autoridades do Parlamento Europeu durante um workshop sobre perspectivas de comércio agrícola entre o Brasil e a União Européia. O evento foi promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Cançado aproveitou a oportunidade para esclarecer notícias distorcidas que vêm sendo divulgadas na Europa sobre o Brasil e defender a proposta de acordos bilaterais entre o Mercosul e a UE.

O diretor apresentou informações sobre o controle sanitário desenvolvido no Brasil. Também falou sobre as potencialidades dos setores produtivos e exportadores brasileiros de açúcar e etanol, de grãos, de citrus e de carnes bovina e de aves. “Houve consenso e todos defenderam que as negociações em torno de um acordo entre o Mercosul e a UE devem avançar com mais agilidade”, afirma.


No dia anterior, o diretor do Ministério da Agricultura havia se reunido com três diretorias da Comissão Europeia, em Bruxelas. A reunião tratou das exportações de itens de origem animal do Brasil para o bloco europeu e da alteração dos requisitos para o rastreamento e o controle de trânsito de animais abatidos com destino à UE dentro da cota Hilton, que estabelece 10 mil toneladas de carne nobre para as indústrias nacionais exportarem com tarifas reduzidas.

Segundo Cançado, os europeus estão dispostos a receber propostas alternativas sobre os requisitos de rastreabilidade do lado brasileiro em substituição ao atual sistema.

África do Sul

A agenda internacional prossegue na próxima sexta-feira, 24 de junho, na África do Sul. O diretor do Ministério da Agricultura se reunirá com diretores do Departamento de Agricultura e Pesca para tratar da reabertura do mercado sul-africano para as exportações de carne suína do Brasil, embargadas desde outubro de 2005.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink