Monsanto esclarece sobre resistência de erva daninha a produtos

Agronegócio

Monsanto esclarece sobre resistência de erva daninha a produtos

Até hoje não houve nenhum caso de reclamação quanto à ineficiência de controle da planta nas aplicações de campo para seu manejo, destaca a empresa
Por: -Redação
18 acessos

Em comunicado, a Monsanto vem a público esclarecer a matéria veiculada no jornal O Popular. Leia a íntegra da nota abaixo:

Com relação à matéria “Leiteira resistente ao glifosato”, publicada no Suplemento do Campo (edição de 8 a 14-12) do jornal O Popular, e veiculada no site Agrolink, a Monsanto esclarece que a planta daninha Euphorbia heterophylla (leiteira ou amendoim-bravo) sempre foi controlada pelo herbicida à base de glifosato.

Até hoje não houve nenhum caso de reclamação quanto à ineficiência de controle da planta nas aplicações de campo para seu manejo, desde que seguidas as recomendações de dosagens de 720 a 1440 g e.a./ha, conforme especificado na bula dos herbicidas da Monsanto à base de glifosato (família Roundup®).

Mesmo nas aplicações em soja Roundup Ready® (RR), tolerante ao glifosato, seguindo-se as doses recomendadas do herbicida Roundup® Ready de 720 a 1.200 g e.a./ha, conforme especificado na bula do produto, não há, até o momento, nenhuma reclamação quanto à falta de controle dessa planta daninha no campo.

A Monsanto reforça que a resistência de plantas daninhas ao glifosato, ou a qualquer outro herbicida, é um fenômeno natural e ocorre devido à variabilidade genética das populações de plantas daninhas. Quanto à eficiência do Roundup®, podemos afirmar que é o produto de maior espectro de ação existente no mercado, controlando as principais plantas infestantes de folhas largas e estreitas das principais culturas ao redor do mundo.

Considerando sua larga utilização e seu amplo espectro de ação, podemos dizer que apenas 11 espécies estão reportadas como resistentes a glifosato, segundo o International Survey of Herbicide Resistant Weeds (www.weedscience,org). Essa quantidade é muito menor que a reportada para outros grupos de herbicidas, como, por exemplo, os inibidores de ALS que possuem 95 espécies relatadas como resistentes, e os inibidores do fotossistema II, que são as triazinas, com 65 espécies reportadas como resistentes.

Apenas para se ter uma idéia da situação no Brasil, o primeiro relato de planta daninha resistente a herbicida aconteceu em 1992, com a Euphorbia heterophylla, resistente a produto do grupo dos inibidores da ALS. Atualmente há 16 espécies relatadas com resistência a diferentes grupos de herbicidas, das quais apenas três delas, encontradas no campo, como resistentes a glifosato. As informações são da assessoria de imprensa da Monsanto.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink