MS: com recomendações Senar, produção de folhosas aumenta 10% em outubro
CI
Imagem: Divulgação
ATeG

MS: com recomendações Senar, produção de folhosas aumenta 10% em outubro

Nas propriedades assistidas pelo Senar, o grupo das hortaliças folhosas teve uma produção 10% maior em outubro
Por:

Nas propriedades assistidas pelo Senar em Mato Grosso do Sul em 2020, o grupo das hortaliças folhosas teve uma produção 10% maior em outubro, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo dados da ATeG (Assistência Técnica e Gerencial), neste ano foram registrados 699,5 mil quilos de produtos como alface, couve e rúculo, enquanto que em 2019 foram 635,7 mil quilos. Esse é o tema do #MercadoAgropecuário desta semana.

De acordo com Dorly Pavei, coordenador da ATeG Horticultura, esse crescimento é resultado da maior adesão de tecnologias e práticas inovadoras por parte dos produtores rurais.

“O aumento de produção se dá pela melhoria no processo de cultivo e na evolução dos produtores atendidos pelo Senar. As recomendações técnicas repassadas pela ATeG, como adubação, tratos culturais e planejamento dos mercados, proporcionam resultados além daqueles que são esperados”, explica.

Atualmente, a ATeG Horticultura atende 918 produtores rurais em 54 municípios do estado.

Na relação das folhosas com maior produção nas propriedades constam alface, couve, rúcula, cebolinha, almeirão, salsa, coentro, acelga, agrião, hortelã e chicória. A alface lidera o ranking, com uma comercialização de R$ 470 mil em outubro. Na sequência, vem couve com R$ 179 mil, e o cheiro verde com R$ 81,9 mil comercializados.

Para que a produção continue em franco crescimento a partir de novembro, quando as chuvas se intensificam, os técnicos da ATeG orientam produtos rurais. 

“Cuidado para o próximo período é ter uma cobertura do solo, seja com palha seca ou mulching, por exemplo. O produtor precisa ficar atento para não colocar excesso de nitrogênio, que pode causar aumento de pragas e doenças, e procurar variedades resistentes, que suportam mais o excesso de chuvas”, recomenda o técnico de campo, Victor Almeida.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink