Agronegócio

MS encaminhou 90% de sua soja para Ásia

Neste ano 90% da soja sul-mato-grossense exportada teve a Ásia como destino, o equivalente a 1,9 milhão de tonelada que gerou receita de US$ 999 milhões
Por:
932 acessos
Neste ano 90% da soja sul-mato-grossense exportada teve a Ásia como destino, o equivalente a 1,9 milhão de tonelada que gerou receita de US$ 999 milhões. As informações foram divulgadas pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul), nesta sexta-feira (27), no Centro de Convenções de Corumbá, durante a primeira parada da expedição que vai ao Chile, avaliar a possibilidade de escoamento pelo porto de Iquique.

De acordo com o diretor secretário da Famasul, Ruy Fachini, a atual estrutura dos portos brasileiros limitam as benefícios que a agropecuária representa e o escoamento pelo Chile seria uma alternativa relevante para atender os asiática. “A receita gerada pelo escoamento da soja de Mato Grosso do Sul aparenta considerável, mas poderia se multiplicar em benefícios sociais se tivéssemos infraestrutura que atendesse a demanda nacional”, enfatizou o Fachini, integrante da equipe que em comboio pelos próximos cinco dias, avaliarão as condições das estradas entre Campo Grande e Iquique e estudam estratégias políticas para a agilidade nas exportações.

Para o deputado federal, Edson Giroto, o Chile pode ser explorado como porta de entrada e saída de commodities do Centro-Oeste. “Técnicas nós temos, precisamos agora utilizar essa experiência para agregar riquezas e buscar na eficiência do Centro-Oeste maior movimentação econômica, de forma que consigamos diminuir a diferença social e desenvolver o Estado”, avalia Giroto, favorável à nova alternativa de rota para exportações.

Também favorável à rota, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, defende a positividade do escoamento pelo Chile. “Corumbá não será apenas um corredor mercadológico, essa rota trará benefícios no turismo local e apresentará a diversidade ambiental e cultural, exibindo o Estado para o mundo”, destaca o prefeito.

A Rota da Integração Latino Americana, nome dado à expedição formada por 90 pessoas que estudam as exportações pelo Pacífico, chegou a Corumbá nesta sexta-feira (28) e segue para Santa Cruz de La Sierra, onde participarão de uma das maiores feiras agropecuária do sul da América, a Expocruz.

Organizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Mato Grosso do Sul (Setlog-MS), a expedição terá paradas estratégicas em Santa Cruz de La Sierra e La Paz (Bolívia), Arica e Iquique (Chile). A previsão de chegada a Iquique é no dia 2 de outubro.

Além da Famasul, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), outras 17 empresas estão envolvidas na Rota da Integração Latino Americana. 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink