MT aguarda alterações no Mapa para discutir repasse
CI
Agronegócio

MT aguarda alterações no Mapa para discutir repasse

Até o momento, o Estado não sabe quanto e nem quando terá os repasses em caixa
Por:

O Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea) está aguardando as mudanças no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), após a posse do novo ministro Reinhold Stephanes para iniciar as conversações com o órgão, visando à definição da proposta de orçamento para a área de defesa sanitária animal e vegetal de Mato Grosso. Até o momento, o Estado não sabe quanto e nem quando terá os repasses em caixa.

“Só após estas definições é que daremos início às discussões para em seguida fazermos a nossa proposta de acordo com o orçamento do ministério”, explica o presidente do Indea, Décio Coutinho. No ano passado, o Indea solicitou R$ 10 milhões para o combate à febre aftosa, mas os recursos vieram no final do ano e em volume 70% abaixo do pedido: R$ 3 milhões foram repassados pelo Mapa para a sanidade animal e vegetal.

Coutinho afirma que o volume de recursos liberados para Mato Grosso em 2006 “foi pequeno” e que há necessidade de a União liberar mais verbas para este ano. “É preciso suprirmos a defesa animal e vegetal com mais recursos e liberação em momento oportuno”, adverte. O dinheiro referente aos orçamentos de 2005 e 2006 foi liberado com atraso e, com isso, o Indea teve que desenvolver todas as atividades do ano com recursos próprios do Estado.

Vacinação:

O Indea deverá divulgar nos próximos dias o resultado da primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso em 2007, encerrada no último dia 10. O prazo para a comunicação da vacina expirou no dia 20. Quem não comprovar a vacinação do rebanho de zero a 12 meses será autuado e multado. Para esta etapa de vacinação, a previsão é imunizar 5,5 milhões de cabeças de animais nesta faixa etária. A campanha só não foi obrigatória apenas para a região do Pantanal, devido ao período de chuvas.

Todas as estratégicas para a campanha de vacinação foram mantidas pelos órgãos e parceiros envolvidos – comitês de erradicação, Fundo Emergencial de combate à Febre Aftosa (Fefa) e produtores - a fim de que o índice de cobertura vacinal atinja 100% do rebanho.

A vacinação foi obrigatória para todos os bovinos e bubalinos com finalidade de cria, engorda, reprodução, exposições, leilões e outras aglomerações. O Indea também realizou um levantamento do número de propriedades e de animais a serem vacinados.

Três etapas:

Com um rebanho estimado em 26,84 milhões de bovinos - o maior do país -, Mato Grosso realiza a imunização do rebanho em três etapas distintas: em fevereiro (rebanho de 0 a 12 meses), em maio (rebanho de 0 a 24 meses) e em novembro (100% do rebanho). Mato Grosso, que possui o maior rebanho brasileiro, é considerado área internacional livre de febre aftosa com vacinação desde janeiro de 2000.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink