MT intensifica intercâmbio comercial com a Índia

Agronegócio

MT intensifica intercâmbio comercial com a Índia

Comitiva do MT tenta a abertura de um novo mercado indiano para aumento do consumo de soja
Por: -Nelson Francisco
1 acessos

Uma comitiva de produtores de soja, representantes do governo do Estado e da Federação da Agricultura de Mato Grosso (Famato) embarca para Nova Délhi, na Índia, neste sábado (09-12), para avaliar e atuar junto, com norte-americanos, argentinos e paraguaios, na abertura de um novo mercado indiano para aumento do consumo da oleaginosa.

Integram a missão que cumprirá extensa agenda de trabalho, o secretário de Desenvolvimento Rural, Clóves Vettorato, o presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja), Rui Ottoni Prado, o diretor administrativo Ricardo Tomczyk, o vice, Ricardo Arioli Silva, o tesoureiro da entidade, Eraí Maggi, e o primeiro secretário da Famato, Valdir Corrêa da Silva.

Ao lado de norte-americanos, argentinos e paraguaios, a comitiva brasileira conhecerá in loco o mercado indiano e a disponibilidade de produtos à base de soja. Nas reuniões com empresários daquele País, as três nações interessadas em intensificar o intercâmbio comercial tomarão conhecimento de hábitos, costumes e tradições milenares que convivem lado a lado com a modernidade.

A Índia é o segundo país que mais cresce no mundo – depois da China –, com média anual de 6% desde 1990. Dentro de dez anos, prevê um estudo americano, o produto interno bruto indiano será maior que o da Itália e em quinze anos ultrapassará o da Inglaterra.

De olho nesse mercado, as associações norte-americanas de produtores de soja convidaram brasileiros, argentinos e paraguaios para atuarem juntos na abertura de novos mercados. O primeiro passo dado para firmar a parceria foi a participação dos sul americanos, como ouvintes, na reunião de planejamento estratégico de 2008 do Conselho de Exportação de Soja dos Estados Unidos da América (Ussec), realizada entre os dias 08 e 10 de agosto, em St. Louis, EUA.

O próximo passo para consolidar a parceria é a visita ao escritório montado pelos americanos na Índia, que ocorrerá entre os dias 11 e 15 deste mês, em Nova Deli. Segundo os americanos, a crescente demanda por biodiesel vai produzir um excedente de farelo que precisará ser consumido. Para os analistas, a Índia é um mercado atrativo porque é considerado um país emergente e deverá ultrapassar a China em população até 2040.

A população indiana é de 1,1 bilhões de pessoas, contra 1,3 bilhões de chineses. O consumo de soja e derivados na Índia cresceu de 757 milhões de quilos em 96-97 para 2.703 bilhões de quilos em 2004-2005, um acréscimo de 360%. O consumo per capita de farelo de soja na Índia ainda é de 1,7 kg/hab/ano, enquanto que na China é de 21, no Brasil de 48,9 e nos EUA de 105,2.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink