Nanopartículas personalizam sabor da maçã

SABOR

Nanopartículas personalizam sabor da maçã

A pesquisa já é realizada há três anos e tem apoio da UFPel e da UFRGS
Por: -Leonardo Gottems
121 acessos

 

Uma pesquisa brasileira está desenvolvendo uma técnica que utiliza o micro encapsulamento encapsulamento de nutrientes para conferir sabores personalizados a maçã. Esse estudo tem objetivo de elevar o betacarboneto dos frutos e torná-lo, além de nutricionalmente melhores, também com sabores diferenciados que aumentem o consumo do fruto. 

A equipe de estudos é liderada por Rufino Flores Cantillano, doutor em tecnologia de alimentos e pesquisador da Embrapa Clima Temperado, em Pelotas, no Rio Grande do Sul, e tem apoio das universidades federais de Pelotas (UFPel) e do Rio Grande do Sul (UFRGS). O pesquisador explica que o grupo interdisciplinar realiza pesquisas para melhorar os índices de betacarboneto das maçãs a três anos e utiliza o encapsulamento para retirar essas substâncias da cenoura. "Funciona como aquelas cápsulas de remédios. Só que em tamanho de nanopartículas, dissolvidas numa solução e impossíveis de ver a olho nu”, destaca. 

A técnica aplicada pelos pesquisadores se baseia em formular uma solução, que é rica em nanocápsulas, e que tem a capacidade de se incorporar à superfície da fruta, alterando assim sua composição nutricional. Cantillano  afirma que a pesquisa brasileira já avançou cerca de 70% e espera que essa tecnologia seja utilizada muito em breve pela indústria de alimentos. “Essa tecnologia estava na indústria e na informática, mas não na agricultura. É um leque de oportunidades que se abre, como alterar o aroma das frutas, uma vez que a gente entenda bem a manipulação”, afirma. 

O pesquisador lembra ainda que os betacarbonetos não são utilizados apenas para modificar o sabor e o aroma dos frutos, como também seu consumo é associado com a prevenção do câncer e de doenças cardiovasculares. O próximo passo do estudo é realizar uma série de testes para definir se o processo de implantação das substâncias altera  de alguma forma a digestibilidade da fruta. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink