Não descarte resíduos nas tubulações

Agronegócio

Não descarte resíduos nas tubulações

O alerta da Mizumo vale para qualquer tipo de instalação sanitária
Por:
312 acessos

O adequado funcionamento das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) não depende somente das manutenções preventivas, mas, acima de tudo, dos hábitos e da conscientização das pessoas, que não devem descartar resíduos nas tubulações. Isso evita entupimentos e favorece a eficiência do sistema, como alerta a Mizumo – empresa do Grupo Jacto, referência nacional em soluções para tratar e reaproveitar efluentes sanitários.

Óleo, absorventes, papel higiênico, preservativos, seringas, panos de limpeza, produtos químicos em excesso, entre outros produtos, nunca devem ser descartados em ralos ou vasos sanitários, independentemente do tipo de imóvel que está sendo usado. “Está comprovado que um litro de óleo contamina milhares de litros de água potável, por isso, é preciso cuidado mesmo onde não haja uma ETE”, afirma Adriano Gagliardi Colabono, supervisor comercial da Mizumo.

Os padrões de tubulações utilizadas no Brasil não permitem que quaisquer tipos de produtos não solúveis sejam escoados pelo ralo ou vaso sanitário. Além disso, a presença de óleo, graxa e produtos químicos dificulta ou mesmo impede o reúso da água tratada e pode danificar equipamentos eletromecânicos da ETE, como bombas e controladores de níveis.

Para evitar esses problemas, informação é fundamental. A Mizumo sempre orienta aos clientes que possuem sistemas que tratam ou reaproveitam o efluente quanto a tais cuidados em comunicações, palestras e eventos promovidos pela empresa, nos treinamentos da entrega técnica realizada no momento que a ETE entra em funcionamento e no manual que acompanha o produto.

A Mizumo ressalta ainda que nos projetos de ETEs que contam com gradeamento, desarenador e caixa de gordura adequada, itens que compõem o pré-tratamento e que contribuem para deter os resíduos, a limpeza periódica é necessária e o depósito dos resíduos descartados deve ser feito em locais apropriados, em conformidade com a legislação de cada Estado ou município.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink