Agronegócio

Negócios com a Índia podem aumentar produção de soja no MT

Caso haja avanço nas negociações, Mato Grosso deverá ter incremento de 50% na produção
Por: -Talita Ormond
2 acessos

Na busca de novos clientes em potencial sojicultores de Mato Grosso viajam à Índia para estabelecer novos contatos e fechar mais negócios no mercado internacional. Com o acordo, os produtores de soja mato-grossenses já planejam o aumento de 50% na produção da oleaginosa, para garantir 19 quilos de farelos de soja aos 1,8 bilhões de pessoas daquele país. A produção que, atualmente, é de 55 milhões de toneladas, deve acrescentar 24,6 milhões a esse montante, produzindo praticamente 80 milhões de toneladas por safra.

“Isso se compararmos o uso per capita da China”, pontuou o presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja), Rui Prado. Mesmo com baixa produtividade e os investimentos em tecnologia praticamente não existirem, a Índia foi o quinto maior produtor de oleaginosas do mundo em 2005. Como a população do país deve ultrapassar a da China em até 2040, o mercado tornou-se atrativo para os sojicultores mato-grossenses. O consumo de soja e derivados na Índia cresceu de 757 mil de toneladas, em 96/97, para 2.703 milhões de toneladas, em 2004/2005, um acréscimo de 360%.

Apesar do consumo per capita de farelo de soja na Índia por habitante ainda ser de 1,7 quilo no ano, número bem abaixo da China com 21, Brasil 48,9 e Estados Unidos com 105,2, os produtores acreditam no crescente consumo equiparando pelo menos ao padrão da China. O motivo para o otimismo está na pesquisa feita pela Associação Americana de Soja (ASA) quando indica que o consumo de óleo vegetal na Índia vem crescendo a uma taxa de 6% ao ano. O dado, somado ao crescimento populacional, permite que o mercado sojicultor brasileiro abocanhe o mercado.

O quadro de processamento indiano é formado por pequenas indústrias que utilizam baixa tecnologia e possuem excesso de produção. Isso é resultado da política do governo que prioriza as pequenas indústrias, impõe restrições à movimentação e estocagem de oleaginosas e controla a liberação de crédito. E é nessa brecha que os produtores de soja mato-grossenses pretendem ingressar.

Como convidados, os representantes do Brasil no encontro devem propor uma parceria para abertura de novos mercados no planeta, incluindo o crescimento e representatividade de Índia nesse segmento. Além de contatos com empresários do setor, durante o evento também serão incluídos seminários sobre soja na alimentação humana e animal, visitas às indústrias e demonstrações das estratégias usadas pelos norte-americanos para aumentar o consumo da oleaginosa.

Encontro - Uma comitiva foi estabelecida para participar do encontro. Devem participar o secretário Estadual de Desenvolvimento Rural, Cloves Vettorato, o presidente da Aprosoja, Rui Prado, o diretor administrativo, Ricardo Tomczyk, o diretor financeiro, Eraí Maggi, o vice-diretor administrativo, Ricardo Arioli Silva e o diretor do Fundo de Apoio à Cultura da Soja (FACS), Valdir Correa. Depois de embarcar para Nova Delhi, entre os dias 11 e 15 de dezembro, a comitiva segue para Agra e Mumbai (Bombaim).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink