NexSteppe anuncia sorgo dedicado a indústria de base biológica
CI
Agronegócio

NexSteppe anuncia sorgo dedicado a indústria de base biológica

Os híbridos de Malibu e de Palo Alto fornecem matéria prima de energia dedicada para biocombustíveis, bioenergia e produtos de base biológica
Por:
A NexSteppe, empresa dedicada ao desenvolvimento pioneiro da próxima geração de soluções sustentáveis em matéria-prima para as indústrias de base biológica, anuncia hoje o lançamento de seus primeiros produtos nos EUA e no Brasil. Os novos produtos da NexSteppe, híbridos de sorgo sacarino de Malibu e híbridos de sorgo de alta biomassa de Palo Alto, oferecem uma alternativa avançada para empresas que buscam uma solução em matéria-prima eficiente em termos de custo para a produção de biocombustíveis avançados e celulósicos, bioenergia e produtos de base biológica.

Recebendo o nome da cidade onde a empresa foi fundada, Malibu, os híbridos de sorgo sacarino da NexSteppe foram otimizados para fornecer uma fonte facilmente acessível de açúcares fermentáveis para a produção de biocombustíveis avançados e produtos de base biológica. Os sorgos sacarinos Malibu podem ser usados como um complemento à cana de açúcar no fornecimento de matéria prima adicional para as usinas de transformação do açúcar em etanol.

Chegando a seis metros de altura com apenas quatro meses de crescimento, os híbridos de sorgo de alta biomassa Palo Alto da NexSteppe fornecem matéria-prima de biomassa de alto rendimento e baixo custo para a bioenergia, incluindo biogás e biocombustíveis celulósicos. Concebido para ter níveis baixos de umidade na maturidade, os sorgos de alta biomassa Palo Alto reduzem significativamente a quantidade de água colhida, reduzindo os custos de colheita e transporte, que podem chegar a 50 por cento ou mais do custo total de matéria-prima. Níveis mais baixos de umidade também proporcionam uma maior densidade de energia eficaz para a combustão.

De acordo com a CEO, Anna Rath, "A NexSteppe está extremamente focada em levar para o mercado produtos de matéria-prima que permitam que a indústria sucroenergética brasileira atenda às crescentes demandas do mercado doméstico brasileiro de energia e mantenha seu papel de líder no desenvolvimento global das indústrias de base biológica."

A Diretora Comercial, Tatiana Gonsalves, acrescenta que "o verão proporciona um ambiente ideal de crescimento para o sorgo, otimizando seu crescimento vegetativo com acúmulo de açúcar na fase final do ciclo. Cultivado nesse período, representa uma possibilidade de extensão da safra da cana-de açúcar, pronto para oferecer matéria prima logo no inicio do ciclo e assim ajudar na amortização de custos fixos e melhor aproveitamento do parque industrial”.

Com o avanço do melhoramento genético e desenvolvimento agronômico, pode-se também entrar nas áreas de safrinha (culturas resultantes de plantios durante a entressafra), possibilitando um complemento extra de matéria prima, quando a usina já se encontra no período de safra. “Desta forma, podemos aproveitar o potencial agrícola da região. A possibilidade de se ter uma cultura com acúmulo de açúcar que atende a indústria e que pode ser plantada rapidamente em escala e cultivada por agricultores, representa para os novos projetos a possibilidade de matéria prima mais rápida e retorno do investimento em um espaço de tempo mais curto. Isso pode ajudar a alavancar uma onda de novas indústrias de etanol e energia elétrica em áreas de nova fronteiras”, afirma a executiva.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.