Novos compradores adquirem 250 mil toneladas de soja RTRS em 2018

Soja RTRS

Novos compradores adquirem 250 mil toneladas de soja RTRS em 2018

As companhias têm se mostrado motivadas em seguir os principais acordos globais em prol da sustentabilidade
Por:
569 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) trabalha continuamente para que a cadeia de produção de soja siga práticas ambientalmente corretas, economicamente viáveis e socialmente justas. Esse esforço tem gerado reconhecimento de empresas que desejam promover e fomentar a produção, o processamento e a comercialização de soja ao redor do mundo de maneira sustentável.

Como resultado, um fato que se destaca do ano de 2018 é que 25 novos compradores – membros e não membros da RTRS – adquiriram 250 mil toneladas de material RTRS, sendo 197 mil toneladas de fluxo físico. As empresas compradoras são do Reino Unido, Escandinávia, Holanda, Bélgica, Alemanha, Espanha, Índia, Tailândia, África do Sul, Chile e Brasil.

“As companhias têm se mostrado motivadas em seguir os principais acordos globais em prol da sustentabilidade. Além disso, os consumidores, principalmente os europeus, estão cada vez mais exigentes e cobrando que as empresas apoiem e endossem ações sustentáveis para a manutenção do meio ambiente e a biodiversidade e também garantam os direitos sociais e trabalhistas”, comenta o Diretor Executivo da RTRS, Marcelo Visconti.

Uma das novas empresas compradoras é a holandesa Sligro Food Group, que atua no mercado de serviços alimentícios e varejo de alimentos nos Países Baixos e Bélgica, oferecendo uma ampla gama de produtos e serviços alimentícios e não alimentares no mercado atacadista de alimentos e bebidas. De acordo com Inge van Disseldorp, Gerente de Processos de Alimentos Sustentáveis do Sligro Food Group, a companhia investe diretamente em um grupo selecionado de agricultores brasileiros, comprando créditos RTRS a fim de promover fontes livres de desmatamento em longo prazo.

“O regime de certificação da RTRS é reconhecido amplamente como o sistema que promove a produção responsável. As fazendas certificadas devem ser aprovadas por auditores e cumprir os requisitos de produção sustentável. O padrão RTRS é o único regime de certificação que garante o desmatamento zero. Além disso, estabelece importantes requisitos sociais com critérios claros em relação aos direitos humanos e trabalhistas”, observa Disseldorp.

Vale destacar também os novos compradores, como para a sul-africana Woolworths Holdings Limited, uma multinacional de varejo que atua nos segmentos de alimentação, produtos e serviços financeiros, entre outros. A IKEA, rede varejista global de origem sueca, distribui seus produtos por uma rede de revendas próprias e fez sua primeira compra em 2018 para o mercado sueco. AGRAVIS Raiffeisen AG é uma empresa alemã de comércio agrícola nos segmentos de produtos agrícolas, nutrição animal, cultivo de plantas e tecnologia agrícola. As chilenas Los Fiordos Ltda, Biomar Chile S.A. e Chilenos Vitapro Chile S.A. têm como foco o mercado marinho e a indústria de aquacultura.

Já a Bunge Iberica se destacou por adquirir 165 mil toneladas de soja física certificada RTRS, sob o modelo de Balanço de Massa, assim como as tailandesas Thai Vegetable Oil PLC e Thanakorn Vegetable Oil Products Co. Ltda, em que cada uma adquiriu 15 mil toneladas de soja física certificada RTRS.

As outras companhias que adquiriram material RTRS pela primeira vez em 2018 são Schouten Europe B.V., Zesty B.V., Royal Zeelandia Group, Harbro Ltda, Dobla Beheer B.V., Solina Group, MP-Maustepalvelu Oy, Hankkija Oy, Caldic Ingredients Sweden AB, Nordic Green Food AB, Marimat AB, Orkla Foods Sverige AB, ARYZTA Bakeries Deutschland GmbH, Cargill GmbH, Royal Canin do Brasil Plant e Adani Wilmar Ltda.

“Essas organizações estão comprometidas com a cadeia produtiva da soja e acreditam que a sustentabilidade constitui uma parte importante de sua responsabilidade social e ambiental, além de atender aos anseios de seus clientes por produtos elaborados de forma responsáveis”, observa Marcelo Visconti.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink