Agronegócio

Noz macadâmia será divulgada no Brasil

Depois de conquistar o mercado externo, os produtores se preparam para difundir a noz macadâmia no mercado interno
Por: -Isabel Dias de Aguiar
4 acessos

Depois de conquistar o mercado externo, os produtores se preparam para difundir a noz macadâmia no mercado interno. Apesar do preço elevado, em relação aos seus sucedâneos, o presidente da Associação Brasileira de Noz Macadâmia (ABM), José Eduardo Mendes Camargo, está convencido de que o produto terá boa aceitação no mercado interno. O principal apelo de marketing serão as excelentes qualidades nutritivas do produto, além do sabor marcante e agradável, informa.

A macadâmia, assim como as demais nozes, é recomendada pelos nutricionistas pela presença dos ácidos graxos, cujas principais qualidades são os efeitos antioxidantes que retardam o envelhecimento e protegem o sistema cardiovascular. Para Camargo, bastam cinco gramas por dia para alcançar esses resultados. É o volume incluído na merenda das escolas de Dois Córregos, no interior paulista, por iniciativa da prefeitura.

O produto distribuído no mercado interno não precisa ser necessariamente o mais caro. Há uma parcela significativa da produção que se quebra no momento do beneficiamento. É com essa parte da noz que se recomenda o preparo de alimentos, como é o caso de risotos, biscoitos e bolos. As qualidades nutritivas são mantidas e a um custo bem mais acessível, afirma Camargo. Uma parcela remanescente da produção é disputada pela indústria de cosméticos, uma vez que seu óleo é usado como matéria-prima da indústria do setor.

Para ganhar o mercado interno, os produtores estão estudando a criação de embalagens especiais, preparam um plano de divulgação do produto e pretendem negociar com o varejo estratégias de distribuição. As entendimentos com a rede de supermercados Carrefour já estão em andamento, informa o presidente da ABM.

O mercado interno, para os produtores de noz macadâmia, representa importante meio de escoamento da produção. Segundo Camargo, atualmente 90% da colheita é dirigida ao exterior. De um total de 760 toneladas produzidas no país, 480 toneladas seguem para dos Estados Unidos, 175 toneladas para a União Européia e 15 toneladas para países da Ásia. Apenas 90 toneladas ficam no País.

A meta é reservar 20% da produção para o mercado doméstico, sem prejuízo das exportações, um vez que a produção nacional está em expansão. A cultura da noz macadâmia é uma boa alternativa para pequenos proprietários rurais ou aqueles grandes que dispõem de áreas pouco adequadas para a mecanização. Mesmo pequenas áreas com a cultura proporcionam boa rentabilidade. Camargo calcula receita de US$ 2 mil por hectare da cultura, considerando uma produção de 3 mil quilos com 200 árvores plantadas nessa área, depois do oitavo ano após o plantio. "É uma boa opção para garantir a aposentadoria até para os proprietários de chácaras destinadas ao lazer".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink