O dia em que a temperatura parou
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,702 (-2,12%)
| Dólar (compra) R$ 5,40 (0,44%)

Imagem: Marcel Oliveira

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

O dia em que a temperatura parou

Inverno tem registrado temperaturas acima da média
Por:
1079 acessos

A forte massa de ar polar que provocou neve no Sul do Brasil e quedas expressivas da temperatura até em Rio Branco, capital do Acre, provocou um fenômeno inesperado em Minas Gerais. A amplitude térmica, ou seja, a diferença entre a maior e a menor temperatura registrada no dia, praticamente não sofreu variações nesse sábado 22 de agosto.

A análise é do pesquisador Daniel Pereira Guimarães, Da Embrapa Milho e Sorgo, de Sete Lagoas, Minas Gerais.

Ele ressalta que em Sete Lagoas a temperatura mínima registrada foi de 13,6° C (graus Celcius), enquanto a máxima foi de apenas 16°C, com uma diferença de apenas 2,4 graus durante todo o dia. Nas condições de inverno a tendência é de alta amplitude térmica com temperaturas baixas na madrugada e altas no período da tarde.

“Pequenas amplitudes térmicas combinadas com baixas temperaturas só foram registradas uma vez nos 95 anos de monitoramento da estação meteorológica instalada na Embrapa de Sete Lagoas. Isso ocorreu no dia 21 de dezembro de 1943, o que é mais estranho ainda pois ocorreu durante o verão”, lembra Guimarães.

“Dessa vez, cerca de 20 estações meteorológicas registraram amplitudes térmicas abaixo de 3 graus centígrados. Ouro Branco, Ibirité, Juiz de Fora e Viçosa tiveram amplitudes menores que 2 graus. Com exceção do Norte de Minas, todas as demais regiões do Estado tiveram condições climáticas semelhantes. Em Belo Horizonte, 2,1 graus de amplitude”, relata o pesquisador.

Segundo ele, “nos últimos anos, o inverno tem registrado temperaturas acima da média e as baixas temperaturas somente ocorrem com os reflexos das fortes massas de ar de origem polar, que vêm causando fortes impactos na região Sul, como o recente ciclone bomba e a atual nevasca que baixou a 8,6 graus negativos em Bom Jardim da Serra, em Santa Catarina”.

“A dissipação da nebulosidade, a partir de segunda-feira, 24 de agosto, aumenta gradativamente a temperatura no período da tarde. E o inverso ocorrerá com a temperatura mínima que ficará abaixo de 10° C, a partir de terça-feira, 25. E no final de semana, o clima volta ao normal e setembro inicia com temperaturas altas e clima seco. O aumento da umidade relativa, provocado pela chuva fraca que acompanhou a chegada da friagem, contribuiu para melhorar a qualidade do ar e reduzir os focos de calor”, ressalta Daniel Guimarães.

Colaboração: Daniel Pereira Guimarães, pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink