Agronegócio

Oeste catarinense é o berço dos bovinos da raça Holandesa

Animais de excelência da região podem disputar campeonatos nacionais
Por:
1329 acessos
Animais de excelência da região podem disputar campeonatos nacionais
  
Os animais de excelência da raça holandesa que participaram do julgamento morfológico em lactação, no último sábado (12), na Exposição-feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó (EFAPI), têm plenas condições de competirem em eventos nacionais.


De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Holandesa, Hans Jan Groenwold, do município de Castro no Paraná, os animais apresentados são de ótima qualidade e possuem uma variação maior dentro das categorias. Outro aspecto positivo apontado foi a participação de novos criadores, o que revelou a evolução do setor.

“Devemos incentivar os produtores da região a fazer o registro dos animais e melhorar o acasalamento. Há muito que crescer e aprimorar, porém, a região avançou e os animais “top” podem concorrer em qualquer região do País. O que se percebe é que os produtores estão preocupados em ter animais de qualidade superior”, observou.

Para o jurado oficial de classificação de pista, Altair Valloto, a região oeste catarinense é o berço dos bovinos da raça holandesa,  em fase da evolução genética dos animais, com mais capacidade produtiva e que podem participar de qualquer competição de pista no Brasil.


Segundo Valloto, na pista da EFAPI foi possível visualizar o trabalho desenvolvido pelos produtores há mais de três meses no preparo dos animais, que resultou em vacas em condições excepcionais de apresentação. “O diferencial foi a quantidade de expositores que ultrapassou dos 30, o que remete ao congraçamento dos expositores, demonstra a força do setor e a organização do evento. Além disso, foram apresentados 180 bovinos”, complementou.

GRANDE CAMPEONATO DA RAÇA
A grande campeã foi a vaca de propriedade do empresário chapecoense Gelson Dalla Costa. O animal PO produz 65 litros de leite por dia. Em 2012, conquistou o título de grande campeã da Expomerco e, como novilha, também ganhava nos campeonatos.

Para o empresário, o título foi recebido com orgulho. “Isso é fruto do trabalho da família que se dedica integralmente na atividade. É um momento de muita felicidade”, complementou. 

A propriedade da família produz diariamente 3.500 litros de leite, possui um rebanho de 250 animais das raças Jersey e Holandesa e conta com 150 hectares. Para alcançar esses resultados, Dalla Costa explicou que foram investidos em inseminação artificial, melhoramento genético e transformação de embriões. Os animais recebem uma alimentação de alta qualidade, como silagem, farelo pré-secado e ração.

A vaca reservada grande campeã é da Granja Luski, de Chapecó, de propriedade de Luciano e Fernando Sarvacinski. O animal produz 56 litros dia e em 2012 conquistou o título de melhor vaca do ano nos municípios de Lages, Xanxerê e Chapecó. “Mais essa conquista representa que o nosso trabalho está no caminho certo, pois nos dedicamos à atividade há 33 anos”, explicou Fernando.


A propriedade da família tem 66 hectares e possui 142 animais, sendo 90% de raça pura. “Trabalhamos com seleção genética de ponta, inseminação artificial e seleção de famílias para manter a linhagem”, complementou.

A terceira melhor vaca da exposição é da Cabanha Menina, de Chapecó, de propriedade de Nancy Leonhardt. O animal também recebeu os títulos nas categorias três anos Junior, melhor úbere jovem e campeã vaca jovem. “Essas premiações representam tudo, são fruto de muita dedicação, amor e genética”, afirmou emocionada.

Na última etapa disputou o título de campeã suprema da EFAPI as grandes campeãs da raça Jersey e Holandesa. O reconhecimento ficou com a vaca de propriedade do empresário chapecoense Gelson Dalla Costa. “Esse animal estava avaliado em R$ 10 mil, agora com os dois títulos mais importantes da feira amplia para R$ 100 mil”, comentou orgulhoso.

NOVIDADES
O presidente de honra da feira, João Rodrigues, parabenizou a todos os expositores do setor de agropecuária, principalmente, pela evolução do setor. Também anunciou que para a próxima edição da EFAPI a sugestão é de que os pavilhões do segmento devem abrir às 9 horas para oportunizar a visitação dos empresários rurais. “O verdadeiro espetáculo está nestes pavilhões e devemos priorizar o setor produtivo”, justificou.


Na próxima semana, o Núcleo de Criadores de Bovinos de Chapecó realizará reunião para avaliar as ações da feira e para aprimorar os detalhes para as próximas edições, explicou o coordenador do setor de bovinocultura, Mauro Zandavalli.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink