Oferta de açúcar do Brasil pressiona exportações da Tailândia

Agronegócio

Oferta de açúcar do Brasil pressiona exportações da Tailândia

Açúcar bruto brasileiro está abocanhando fatia de mercado
Por:
925 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
LONDRES (Reuters) - O açúcar bruto brasileiro está abocanhando fatia de mercado das exportações tailandesas no mercado asiático, devido a um estreitamento dos diferenciais de preços e com negociantes esperando que a próxima divulgação de dados de indústria mostrem uma aceleração da moagem no centro-sul do Brasil.


Agentes do mercado destacaram uma grande escala de navios nos portos brasileiros em junho e julho para destinos na Ásia, especialmente China e Índia, enquanto as filas na Tailândia estão pequenas apesar de uma produção recorde de açúcar.

Fontes do mercado relataram ofertas de açúcar do centro-sul do Brasil a 77 pontos de desconto sobre o contrato outubro do açúcar na bolsa ICE Futures de Nova York, muito perto dos 90 pontos de desconto para o açúcar tailandês.

Devido aos baixos preços de frete, os descontos de frete do distante Brasil e da Tailândia, com destino mercados asiáticos, ficou menor.

Operadores registraram grandes fluxos de açúcar do Brasil nas escalas de navios para a Índia, dizendo que o adoçante está destinado ao refino para posterior reexportação, e não para consumo no país.

A refinaria Al Khaleej, em Dubai, comprou grandes quantidade de açúcar bruto do Brasil em semanas recentes, que ela poderia estocar em antecipação a vendas futuras para mercados regionais, disseram operadores.

"As recentes compras da Al Khaleej não representam nova demanda. Elas foram feitas em antecipação a negócios regulares no futuro", disse uma fonte do mercado.

Operadores disseram que esperam que os próximos dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), na próxima semana, mostrem uma rápida moagem no centro-sul do Brasil na segunda quinzena de junho, devido a clima seco favorável para a colheita.


Uma fonte do mercado estimou que os dados podem mostrar produção de 2,5 milhões de toneladas de açúcar no período.

((Tradução Redação São Paulo, 5511 5644 7762))
REUTERS GB FG
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink