Agronegócio

Olho no futuro gera debate sobre a soja sustentável e plantio tende a ser certificado

Conferência promoveu a união de forças com vistas a um futuro sustentável
Por: -MAURÍCIO HUGO
3110 acessos

Quem produz alimentos no Brasil e no mundo sabe que, hoje, o consumidor quer saber de onde vem a comida que ele consome e se ela é feita de forma sustentável. E essa consciência, daqui para a frente, só tende a aumentar com o surgimento de novas e esclarecidas gerações. “Por isso nos perguntamos hoje: como será o futuro de nossos filhos e netos? Estamos aqui hoje para essa agenda, a soja do futuro”. Assim o presidente da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS – Round Table on Responsible Soy Association, em inglês), Olaf Brugman, abriu a 11ª Conferência Anual da RTRS, na quarta-feira, dia 1º de julho, em Brasília. Ele afirmou que, no ano de 2015, o Brasil obteve 432,2 mil hectares cultivados com soja que foram certificados, o que representou 1,4 milhão de toneladas de soja responsável. São 73 fazendas certificadas e muitas estão com auditorias credenciadas. “Globalmente, para o mesmo ano, foram registrados mais de 700 mil hectares certificados e mais de 2,3 milhões de toneladas de soja certificadas e vendidas por meio da associação. Os resultados são extremamente positivos e acreditamos que devemos potencializá-los. Nesse sentido, acredito que esse evento vai contribuir e consolidar a posição da RTRS”, comentou Olaf Brugman.

A conferência anual realizada pela RTRS convoca e reúne as partes interessadas em um espaço de diálogo com o objetivo principal de mobilizar conversas mais aprofundadas sobre a produção e o comércio da soja no contexto mais amplo da sustentabilidade, como subsídio para um debate que vai além da certificação. “Nosso intuito com o evento é promover um intercâmbio de conhecimentos, experiências e visões entre os participantes, para garantir a inovação na cadeia de valor da soja e, dessa forma, garantir a sustentabilidade econômica em longo prazo”, ressaltou o presidente da RTRS. 
A RTRS – organização da sociedade civil que promove a produção, o processamento e a comercialização responsável da soja em nível global – acompanha os avanços da produção e exportação brasileira e trabalha para que o grão seja economicamente viável e ambientalmente adequado. 

COMO SER UM PRODUTOR  CERTIFICADO

Para se tornar um produtor RTRS e obter uma certificação, é necessário seguir os cinco princípios básicos: cumprir as leis e as boas práticas de negócios, oferecer boas condições de trabalho, respeitar e criar vínculos com as comunidades locais, cuidar do meio ambiente e adotar boas práticas agrícolas.

Em 2011, a RTRS certificou as duas primeiras fazendas no mundo, ambas no Brasil. Ao todo, foram 76,4 mil hectares, o que representou 251 mil toneladas de soja. Em 2015, o Brasil obteve 432,2 mil hectares certificados (1,36% da área total cultivada de soja), o que representou 1,4 milhão de toneladas de soja (1,49% da produção nacional). São 73 fazendas certificadas e muitas estão com auditorias credenciadas. A previsão é de que, até 2020, o País alcance pelo menos 5 milhões de toneladas, volume correspondente a 5% da produção interna. 

VANTAGENS ECONÔMICAS

As principais vantagens econômicas para os produtores são oportunidades de acesso a mercados internacionais e programas de financiamento, possibilidade de recompensa decorrente da venda de material certificado e redução dos custos em razão do maior controle sobre os insumos. Existe também a possibilidade de venda de créditos RTRS, que consiste em uma alternativa à comercialização do material físico. A RTRS concede aos produtores créditos equivalentes ao volume certificado. Em 2015, produtores rurais comprometidos com o plano sustentável da soja no mundo foram premiados com pouco mais de US$ 6 milhões, melhor resultado atingido até agora. 

VANTAGENS AMBIENTAIS

Ambientalmente, os benefícios são manutenção da biodiversidade e alto valor de conservação, melhoria no solo e na qualidade da água, redução da poluição, menor produção de resíduos e menores impactos sobre a saúde e o meio ambiente, por meio de aplicação sistemática e reconhecida de técnicas de manejo integrado de cultivos. Por meio de boas práticas de produção sustentável, a RTRS atende à crescente demanda mundial por alimento, uma vez que a soja é a maior fonte de proteína disponível. 

A associação é reconhecida como uma importante ferramenta para que o produtor tenha maior rentabilidade e expansão dos seus negócios e para que as exportações de soja de qualidade cresçam exponencialmente e contribuam com a economia do País. 

SOBRE A RTRS

Fundada em 2006, a Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) é uma iniciativa internacional formada pelos principais representantes da cadeia de valor da soja, como produtores, indústria, comércio, finanças e sociedade civil. Os atores dessas diferentes áreas se reúnem em torno de um objetivo comum, garantindo o diálogo e a tomada de decisão por consenso. 

A missão da entidade é promover o uso e o crescimento da produção sustentável de soja e, por meio do Padrão RTRS de Produção Responsável da Soja, aplicável mundialmente, garantir uma produção ambientalmente correta, socialmente adequada e economicamente viável. Atualmente, a RTRS conta com mais de 180 membros em vários países. Visite o site www.responsiblesoy.org/

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink