Ônibus 100% a biodiesel começam a circular hoje no PR

Agronegócio

Ônibus 100% a biodiesel começam a circular hoje no PR

Experiência inédita no País prevê a melhora da qualidade do ar em Curitiba com a menor emissão de poluentes
Por:
175 acessos

O prefeito Beto Richa lançou nessa quarta-feira (26) o projeto B100 (100% biocombustível). A experiência é inédita no País, e prevê que ônibus que circulem pela Linha Verde só utilizem o biocombustível, sem mistura de óleo diesel. Serão seis ônibus da linha Pinheirinho-Carlos Gomes que utilizarão o combustível a partir do óleo de soja. O lançamento do projeto acontece às 14h30, na sede da empresa Viação Cidade Sorriso.

No começo da tarde de terça-feira, aconteceu o transbordo do combustível feita pela RDP, Distribuidora de Petróleo Ltda, de Araucária, responsável pelo transporte do biocombustível, produzido pela BSBios Indústria e Comércio de Biodiesel Brasil Sul S/A, de Passo Fundo (RS).

O projeto começou a ser elaborado há dois anos por técnicos da Urbs e conta com a parceria da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, das empresas operadoras do transporte Viação Cidade Sorriso e Auto Viação Redentor; das montadoras Scania e Volvo, do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar), e do Programa Brasileiro de Desenvolvimento Tecnológico e Combustíveis (Probiodiesel), empresa de fomento e pesquisa tecnológica.

Na sequência, todos os 18 ônibus da Linha Verde, que fazem a linha Pinheirinho-Carlos Gomes, passem a operar com o B100. O programa do biocombustível na Linha Verde terá acompanhamento permanente de todas as áreas envolvidas com avaliação de consumo, desempenho e emissão de de poluentes. Os ônibus que vão operar com biocombustível têm motores Euro III, uma tecnologia mais avançada do que o Euro I, e que vem sendo adotada na frota de Curitiba. Desde 2005 e até o fim deste ano, 1.120 dos 1.910 ônibus da frota operante de Curitiba são novos, com motores eletrônicos Euro III que fazem a queima quase completa dos combustíveis.

A Capital já vinha trabalhando para reduzir a emissão de poluentes pela frota de veículos, adotando, por exemplo, misturas do diesel com biocombustíveis em percentuais entre 20% e 50%. O biocombustível do projeto B100 também é avaliado em todas as etapas, desde que sai da fábrica, quando chega à distribuidora e, por fim, quando chega até o destino final.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink