Ônibus da Linha Verde vão rodar com combustível à base de soja

Agronegócio

Ônibus da Linha Verde vão rodar com combustível à base de soja

B-100 não usa diesel convencional na mistura
Por:
424 acessos

O prefeito em exercício, Luciano Ducci, o presidente da Urbs, Urbanização de Curitiba S/A, Marcos Isfer, e o secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, assinaram, na tarde dessa quarta-feira (22), com empresas operadoras do transporte coletivo, fabricantes de motores e chassis e produtor e distribuidor de biocombustível, acordo que garante a operação de ônibus da Linha Verde integralmente com biocombustível, B-100, sem mistura de diesel convencional.

Inédito no país e, até onde se tem notícia, também no mundo, o projeto será iniciado a partir de agosto com seis ônibus da Linha Verde. A idéia é que, na sequência, todos os 18 ônibus da Linha Verde, que fazem a linha Pinheirinho-Carlos Gomes, passem a operar com o B 100.

Com a preocupação ambiental em foco desde a década de 1970, Curitiba se antecipa outra vez, ao usar em caráter pioneiro um combustível 100% verde, não poluente, servindo outra vez como exemplo nacional. Combustíveis limpos poderão, no futuro, ser diretamente responsáveis pela redução de custos com despesas ligadas à Saúde Pública, garantindo a desejada qualidade e vida de todos, disse Ducci.

O presidente da Urbs, Marcos Isfer, disse que a entrada em operação, de ônibus com 100% de biocombustível é mais uma prova de que quando uma cidade se preocupa de fato com o meio ambiente e com o transporte coletivo, consegue colocar em prática inovações como esta. Termos ônibus rodando só com biocombustível será mais um momento marcante na história da cidade que é referência mundial em transporte e meio ambiente. Isfer fez questão de parabenizar os técnicos da Urbs que se dedicaram ao projeto e conseguiram reunir, em torno de uma mesma idéia, todos os setores da área.

O secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, disse que a assinatura do acordo representou uma grande vitória. É a vitória do que tínhamos em estudo, a de ter um eixo de transporte em que se pudesse utilizar integralmente o biocombustível, reduzindo a emissão de poluentes. Este eixo é a Linha Verde, onde também este projeto começa a se viabilizar, afirmou.

Elcio Karas, gestor de Vistoria e Cadastro do Transporte Coletivo, lembrou que cidade vem trabalhando de forma contínua para reduzir a emissão de poluentes pela frota de veículos, adotando, por exemplo, misturas do diesel com biocombustíveis em percentuais entre 20% e 50%. Agora não há mistura, é 100% biocombustível e isso só foi possível com a parceria da Urbs e do município com os fabricantes, os operadores, institutos de pesquisa e fabricante e distribuidor de biodiesel, afirmou.

Élcio explicou que o programa do biocombustível na Linha Verde terá acompanhamento permanente de todas as áreas envolvidas com avaliação de consumo, desempenho e emissão de de poluentes. Os ônibus que vão operar com biocombustível têm motores Euro III, uma tecnologia mais avançada do que o Euro I, e que vem sendo adotada na frota de Curitiba. Desde 2005 e até o fim deste ano, 1.120 dos 1.910 ônibus da frota operante de Curitiba são novos, com motores eletrônicos Euro III que fazem a queima quase completa dos combustíveis.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink