Os avanços da suinocultura gaúcha nas últimas 4 décadas

Agronegócio

Os avanços da suinocultura gaúcha nas últimas 4 décadas

Acsurs tem lutado pela melhoria das condições financeiras dos produtores
Por:
1652 acessos
Associação que representa os produtores tem lutado pela melhoria das condições financeiras dos produtores da carne suína
 
Em 25 de novembro de 1972, suinocultores e técnicos ligados ao setor reuniram-se em Estrela para fundar a Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs). A entidade foi criada com a missão de assumir a responsabilidade de zelar pelos interesses dos suinocultores do Estado e trabalhar a favor do melhoramento genético do rebanho gaúcho. O ato de assinatura do convênio entre a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e Acsurs, instituindo oficialmente a entidade, ocorreu com a participação do então primeiro presidente da associação, Hédio Scherer; presidente da ABCS, o engenheiro agrônomo Hélio Miguel de Rose; o diretor-executivo da ABCS, José Adão Braun, que mais tarde assumiria, também, a função de presidente da Acsurs; e do diretor do Registro Genealógico da ABCS, o médico veterinário Percy de Quadro.

Ao longo das quatro décadas, segundo o atual presidente da Acsurs, Valdecir Luis Folador, a entidade buscou representar todos os produtores gaúchos de suínos com o objetivo de cumprir com sua missão, defendendo os interesses dos suinocultores, sejam eles nos aspectos econômico, social, ambiental, tributário ou de Legislação, enfim, inerentes ao setor. "Esse é o papel da entidade. A Acsurs trabalha, dia-a-dia, levando as necessidades dos produtores de suínos às autoridades e órgãos competentes e insistindo e cobrando destes a solução ou alguma alternativa que amenize determinada dificuldade", frisa Folador. Segundo Folador, a entidade tem sido participativa em grandes eventos, como a Expointer-RS., que é realizada na cidade de Esteio.

Para o secretário adjunto da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa/RS), Cláudio Fioreze, a associação gaúcha representa o elo primeiro da cadeia produtiva da suinocultura, sendo que tornou-se pioneira no melhoramento genético da cadeia e, cada vez mais, mostra sua importância na articulação nacional para o aumento do consumo da carne suína pelos brasileiros. "A Acsurs tem papel fundamental junto aos produtores. Entre outros, cumpre destacar o papel da entidade na resolução do passivo de mais de R$ 80 milhões do Programa Pró-Produtividade Agrícola, junto a cerca de 200 granjeiros", ressalta Fioreze.
Hoje, a suinocultura gaúcha reúne cerca de 9 mil suinocultores, distribuídos em aproximadamente 300 municípios gaúchos. Em muitos deles, como em Três Passos, a suinocultura representa boa parte da economia. A cidade aparece na quarta colocação entre os municípios com maior abate de suínos em 2011 segundo registro SIF/RS, com 126.927 suínos abatidos.

Para o presidente do Núcleo de Criadores de Suínos de Três Passos, Elemar Hein, a Acsurs é a legítima representante da suinocultura e dos suinocultores gaúchos. Ele ressalta, no entanto, que para um entidade cada vez mais forte é necessário que os suinocultores estejam aliados ao mesmo ideal. "É importante que os suinocultores estejam unidos junto às suas entidades municipais e, por sua vez, as mesmas estarão aliadas à entidade estadual, a Acsurs, responsável pela busca dos direitos de um todo", frisa Hein.

Melhoramento genético

Em um verdadeiro mutirão, que contou com a participação da Prefeitura de Estrela, Secretaria da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul e Ministério da Agricultura, deu-se a construção o Centro de Suinocultura Dr. Miguel de Rose - Cias, em Linha Porongos, Estrela. "Essas parcerias foram muitos importantes para que se conseguisse realizar o programa de melhoramento genético, pois eram os técnicos dessas entidades que realizavam o serviço de inspeção e seleção junto às granjas de reprodutores", ressalta o médico veterinário Gilberto Moacir da Silva, que atuou como presidente da Acsurs no período de 1999 a 2005. A primeira parte da construção, a Estação de Teste de Reprodutores Suínos, foi inaugurada em agosto de 1978. A segunda parte, a Central de Inseminação Artificial (Cias), um ano mais tarde. Hoje, a Cias atende a vários municípios gaúchos, prestando relevantes serviços ao melhoramento genético do rebanho suíno no Estado.

Desenvolvimento

Outro importante trabalho desenvolvido no Rio Grande do Sul pela Acsurs é o Programa Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS). O PNDS é uma parceria entre a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), o Sebrae Nacional e a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e conta com o apoio das associações estaduais de criadores de suínos e dos Sebrae UF`s. Os objetivos do projeto são a modernização da comercialização da carne suína e a generalização de boas práticas de produção, da granja à mesa, que contribuam para consolidar a carne suína como um produto saudável e nutritivo, produzido de forma tecnicamente correta, socialmente justa e ambientalmente responsável. Entre as ações do PNDS em 2012, estão treinamentos de capacitação para açougueiros e merendeiras e palestras focadas na qualidade da carne suína.

Presidentes

O primeiro presidente da Acsurs foi Hédio Scherer, que atuou até o ano de 1976. Em seguida, ocupou o cargo José Adão Braun, no período de 1977 a 1982 e 1989 a 1998. O médico veterinário Werner Meincke esteve à frente da associação do período de 1983 a 1988 e Gilberto Moacir da Silva, também médico veterinário, de 1999 a 2005.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink