Ovos férteis: vendas externas retrocedem

OVOS

Ovos férteis: vendas externas retrocedem

O acumulado no primeiro semestre de 2019 ainda apresenta aumento em relação a idêntico período anterior
Por:
242 acessos

Em junho passado, as exportações brasileiras de ovos férteis caíram pelo terceiro mês consecutivo, retrocedendo ao menor volume dos últimos 24 meses. Ou seja: os (quase) 12,250 milhões embarcados ficaram cerca de 30% e 16% abaixo dos volumes alcançados em junho de 2018 e em maio de 2019, respectivamente. 

Apesar, no entanto, de todo um trimestre com resultados negativos, o acumulado no primeiro semestre de 2019 ainda apresenta aumento em relação a idêntico período anterior. Mas enquanto o incremento de um ano atrás foi de quase 40%, o deste ano se encontra em 2,78%. O que, mesmo assim, não impediu atingir-se, nos seis primeiros meses de 2019, o segundo melhor resultado semestral da história do setor.

Por ora, em 12 meses, o volume exportado apresenta expansão pouco superior a 9%. Mas esse índice tende a recuar no decorrer do corrente semestre, porquanto vêm sendo escassas as disponibilidades internas de ovos férteis.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink