Cancro Cítrico

Palavra do presidente: A visão do Fundecitrus e a necessidade de ajustes ao Sistema de Mitigação de Risco do cancro cítrico

O Fundecitrus, ao longo de seus 40 anos, se manteve ao lado dos citricultores diante dos desafios que afetam os pomares de citros.
Por:
24 acessos

O Fundecitrus, ao longo de seus 40 anos, se manteve ao lado dos citricultores diante dos desafios que afetam os pomares de citros. Quando se trata do cancro cítrico, doença que motivou a criação do Fundo, a instituição atua com rigor tanto no campo como nos laboratórios. Sempre defendeu o citricultor e a citricultura no excelente trabalho de apoio à política de supressão e buscou novas alternativas, uma vez demonstrada a inviabilidade de manter o processo adotado a partir de 2009.

O modelo de mitigação, aceito em outras partes do mundo, foi estruturado para manter o controle da doença e aceito como princípio de política fitossanitária. Devido à complexidade, durante sua implantação surgem detalhes diferentes a cada segmento da cadeia produtiva. O Fundecitrus, diante de sua missão institucional estudou esses pontos para poder contribuir na solução das dificuldades levantadas pelos citricultores, preservando a política de mitigação, dentre elas: aumento da porcentagem de frutos com sintomas no talhão com manejo da doença, possibilidade da seleção de frutos com sintomas no packing house, quando em baixa incidência, maior assistência no manejo para pequenos e médios produtores, ampliação da formação dos profissionais qualificados para as inspeções, aumento de opções de produtos para a higienização dos frutos no packing house.

A colaboração do Fundecitrus diante da recente política de mitigação se enquadra dentro das prioridades não apenas como centro de pesquisa, mas também como fonte de orientação técnica, respeitando a política de fitossanidade diante das novas características exigidas pelo mercado.  Esse comprometimento vem sendo feito desde que se demonstrou a impossibilidade operacional e econômica da forma de controle anterior.

Para disseminar os conhecimentos sobre a mitigação existentes no Brasil, o Fundecitrus, além de  informações detalhadas sobre o novo controle em seus materiais de comunicação no formato de revistas, manual técnico e vídeos, promoveu a visita de mais de cem produtores ao Paraná, em março de 2017, para visitar os experimentos das pesquisas que investigam os efeitos das ações de manejo integrado do cancro cítrico; de julho a outubro capacitou cerca de 400 profissionais do setor citrícola para o novo controle da doença por meio de sete cursos realizados em diferentes regiões do estado de São Paulo.

O Fundecitrus segue firme em sua missão de dar suporte aos citricultores e tem consciência de que os desafios são grandes, mas têm solução, dessa forma destina sua força para garantir a lucratividade e competitividade de todos os segmentos da cadeia produtiva.  Os pedidos de ajustes no SMR estão sendo encaminhados ao Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA) em complementação à decisão da Câmara Setorial de Citricultura, do MAPA, para que as possíveis mudanças sejam adotadas preservando a linha mestra da política de mitigação estabelecida pela Secretaria da Agricultura de São Paulo, responsável pela política fitossanitária no estado.

Lourival Carmo Monaco

Presidente do Fundecitrus

Presidente da Câmara Setorial de Citricultura

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink