Palha da cana pode gerar 1,5 mi de MWh

Agronegócio

Palha da cana pode gerar 1,5 mi de MWh

Índice seria suficiente para abastecer uma cidade como Ribeirão Preto por nove meses
Por:
1194 acessos
Índice seria suficiente para abastecer uma cidade como Ribeirão Preto por nove meses, segundo especialistas do setor

A palha da cana-de-açúcar acumulada pelos canaviais da região poderia gerar energia suficiente para abastecer uma cidade do tamnho de Ribeirão Preto por nove meses.

O cálculo foi feito pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente com base na quantidade de palha deixada nos campos a cada safra.

Segundo os dados dos técnicos da secretaria, por ano são 3,15 milhões de toneladas do produto espalhados por 250 mil hectares - ou 12,6 toneladas por hectare.

Transformada em energia por meio da queima, essa palha de cana-de-açúcar seria capaz de gerar 1,568 milhão de megawatts-hora, o suficiente para abastecer a cidade, segundo cálculo da CPFL.

“É uma produção de energia renovável, limpa e que pode contribuir com o faturamento das usinas’’, afirmou o coordenador da secretaria, Ricardo Viegas.

Porém, a queima da palha da cana para produção de energia ainda é pouco utilizada pelas usinas de açúcar e etanol na região.

Proteção para o solo

Um dos motivos é que as usinas usam a palha como proteção para o solo dos canaviais. Apesar disso, há incentivo para a produção de energia com a palha.

O processo mais utilizado e que ainda engatinha é a queima do bagaço da cana. Das 432 usinas no Brasil, 100 tem cogeração de energia por meio do bagaço.

O assunto foi debatido durante a semana na segunda edição do Ethanol Summit, evento do setor organizado pela Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink