Perda milionária assusta produtores de soja
CI
Agronegócio

Perda milionária assusta produtores de soja

Por:

Os sojicultores brasileiros podem acumular prejuízos de cerca de US$ 13 milhões em conseqüência de atrasos no embarque e desembarque motivados pela greve dos fiscais federais portuários e pela falta de infra-estrutura para atender o aumento das exportações. A informação é do governador de Mato Grosso Blairo Maggi, anunciada em solenidade no Tribunal de Contas do Estado, semana passada.

Para a superintendente do IMEA (Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola), Rosemeire Cristina dos Santos, a cifra informada por Maggi é possível levando em consideração o demorage (multa) pago pela diária - entre US$ 50 e US$ 80 mil - nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR) - este responsável pela maior parte do escoamento da produção de soja de Mato Grosso - e multas por atraso na entrega do produto, cujos valores variam conforme o contrato firmado.

Segundo Rosemeire, as diárias do produto dentro do navio já consumiram cerca de US$ 1,2 bilhão apenas com soja. "Esse número é informado pelas trades que intermediam a exportação. Em Mato Grosso ainda não temos esse controle", observou a economista.

Frete

Além disso, afirma a superintendente do Imea, o preço do frete encareceu em função do aumento das exportações para Ásia de minério e soja feitas nos mesmos navios.

"O tempo gasto para chegar a esse mercado consumidor é maior, provocando aumento nos fretes", observou.

O transporte por tonelada (navio de porte médio de capacidade de 60 mil toneladas) passou de US$ 32 para US$ 70. Entretanto, de acordo com Silmara Gallo, da Lucra Corretora, as perdas de rentabilidade só não são maiores devido ao cenário mundial atípico que possibilitou ganhos aos produtores mesmo em condições adversas.

"A produtividade da soja mundial baixou e o consumo aumentou, reduzindo o estoque final no mundo, elevando o preço do produto. Essa situação é inesperada, foi o que ajudou os produtores até agora manter boa margem de lucro", avaliou a corretora. De acordo com ela, o preço da saca de soja comercilizada hoje varia de R$ 43 (na região de Sorriso) a R$ 47 (em Rondonópolis).

"A situação atual está bem complicada, a logística que deveria agregar valor ao produto brasileiro faz o papel inverso. Falta estoque mundial. Pelo último relatório da USDA (Agência Americana de Agricultura) divulgado em março o estoque mundial de soja era de 35,88 milhões de toneladas, a previsão para abril já é de 33 milhões, uma diferença de dois milhões, isso, por outro lado, tem elevado os preços do produto pela Bolsa de Chicago (CBOT)", destacou Silmara. Segundo ela, num contexto de incertezas, os produtores estão preferindo postergar os contratos futuros.

Produção deve ter retração de 5% em 2004

Cerca de 95% da safra 2003/2004 de soja já foram colhidos em Mato Grosso. O maior produtor da oleaginosa deve reduzir entre 5% a 10% a produção prevista de 15 milhões pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), divulgado em fevereiro. A informação é do coordenador do Centro-Grãos, João Augusto Birkhan.

"O número exato da redução na produção ainda não temos, a previsão é de em torno de 5%", observou Birkhan. Segundo o corretor da Lucra, Vagner Zapatero, a estimativa brasileira de 57,6 milhões de t na safra 2003/2004 também sofrerá redução. Segundo levantamento da agência Americana Sparks, a safra de soja no país será de aproximadamente 51,5 milhões toneladas, baixa de quase 12%.

As responsáveis pela perda na produção tanto no estado como no Brasil foram a dificuldade em controlar a ferrugem asiática e de escoar a produção tanto no transporte viário quanto portuário.

Prêmio

Segundo o coordenador do Centro-Grãos, os produtores também enfrentam a depreciação do prêmio pago ao produto comercializado no porto de Paranaguá (PR) de US$ 30 por tonelada inferior ao praticado no ano passado. "O prêmio negativo é uma realidade incontestável, principalmente causado pelo atraso do carregamento", disse.

Birkhan afirma que pela tabela bushel (padrão de medida norte-americano que corresponde a 27,215 quilos) a saca de soja está cotada para julho desse ano a nove dólares, para o próximo ano a US$ 7,38.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink