Pesquisa analisa produção da soja na Amazônia

Agronegócio

Pesquisa analisa produção da soja na Amazônia

Entre os processos estudados encontram-se as estratégias de comercialização antes, durante e após a colheita
Por:
143 acessos
Identificar os critérios e formas de gestão estratégica da cadeia de produção da soja na Amazônia, particularmente as estratégias de comercialização durante as diversas fases, antes, durante e pós-colheita, são os objetivos principais da tese de doutorado de Waldemar Antônio da Rocha de Souza, um dos selecionados pelo Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados do Estado do Amazonas (RH Doutorado - Fluxo Contínuo), oferecido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).


O projeto "Gestão estratégica da produção de soja na Amazônia" será desenvolvido no curso de Doutorado em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (USP/ESALQ) em Piracicaba (SP). O referido curso obteve nota seis na última avaliação trienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).


De acordo com o pesquisador, a região amazônica e o Amazonas, em particular, encontram-se no centro das discussões estratégicas de segurança alimentar, equilíbrio ecológico, expansão econômica nacional e internacional. A soja, como principal commodity agrícola exportada pelo Brasil, ocupa lugar de destaque nesse contexto.


“Entretanto análise e estudos isentos, científicos, detalhados e técnicos na região amazônica são praticamente nulos, em particular quanto aos critérios de aferição da eficiência alocativa dos recursos econômicos para a produção”, afirma Souza.

Ele diz ainda que a correta avaliação e posicionamento da produção da soja na Amazônia poderá trazer inúmeras vantagens para a economia da região. “O Estado do Amazonas poderá beneficiar-se em duas vertentes básicas: na questão da distribuição logística e na avaliação da potencialidade de investimentos nos setores de armazenamento, distribuição, esmagamento, ou seja, na criação de valor do complexo do agronegócio da commodity”.


O pesquisador é professor concursado do Departamento de Administração, Faculdade de Estudos Sociais, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Incentivando a formação

Além do projeto de Waldemar, o RH Doutorado contemplou mais doze pesquisadores com bolsas de doutorado que terão vigência de 12 meses, com renovação anual de no máximo 48 meses.

Com o objetivo de aumentar os índices de doutores no Amazonas, o programa é fluxo contínuo, ou seja, não depende da publicação de editais pela Fundação para que esta conceda bolsas.

Os recursos aplicados pela Fapeam ao programa somam R$ 2,3 milhões. O edital do RH Doutorado-Fluxo Contínuo terá vigência enquanto existirem cotas de bolsas. Mais informações sobre o assunto, clique aqui.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink