Agrotóxicos

Pesquisa brasileira sobre exposição a agrotóxicos conquista dois prêmios em Conferência Europeia da área

Cientista estuda a segurança de vestimentas de proteção utilizadas pelo trabalhador rural na aplicação de produtos químicos
Por:
49 acessos

O pesquisador brasileiro Hamilton Ramos, coordenador do Programa IAC de Qualidade de Equipamentos de Proteção Individual na Agricultura (Quepia), recebeu hoje em Portugal dois dos três prêmios concedidos pela Conferência Europeia de Vestimentas de Proteção. Ele é autor de estudos sobre a exposição de trabalhadores rurais a produtos agroquímicos. Realizada a cada dois anos, a conferência reúne cientistas europeus, na cidade do Porto.

Desenvolvidos no laboratório do Programa Quepia, instalado no Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico de São Paulo (CEA/IAC), na cidade de Jundiaí, os trabalhos científicos premiados compreendem mudanças no método de avaliação adotado globalmente nas análises de qualidade aplicáveis a vestimentas de proteção. Propõem, ainda, alterações na confecção desses produtos, de maneira a prover mais conforto ao trabalhador rural durante aplicações de agroquímicos.

“É gratificante ter a pesquisa científica brasileira da área reconhecida mundialmente. Essas conquistas reforçam a importância do Brasil no desenvolvimento de medidas voltadas à proteção do trabalhador rural. Não são prêmios conquistados isoladamente, mas resultantes do esforço de uma equipe toda, das empresas e entidades que patrocinam o programa Quepia e também da alta capacitação dos laboratórios do CEA/IAC para produzir ciência”, declarou Ramos, há pouco, na cidade do Porto.

Para o cientista, entretanto, apesar de o Brasil ter se tornado uma referência mundial em investimentos voltados à proteção do trabalhador rural aplicador de agroquímicos, um grande número de produtores agrícolas e agroindústrias ainda permanece desatento à necessidade de fornecer à mão de obra alocada na área equipamentos de proteção com qualidade certificada.

De acordo com Ramos, o estudo que trata da avaliação da eficácia de segurança de vestimentas teve a parceria da pesquisadora Anugrah Shaw, da universidade norte-americana de Maryland. Já a pesquisa focada na manufatura desses produtos contou com apoio de cientistas dos Estados Unidos, da Espanha, França e Eslovênia.

O Programa Quepia une o Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico (CEA/IAC) - órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo - à indústria brasileira de vestimentas de proteção.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink