Pesquisadores reconstroem ligações genéticas do pêssego

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
ESTUDO

Pesquisadores reconstroem ligações genéticas do pêssego

Técnica utilizada é a mesma do eucalipto
Por: -Leonardo Gottems

Os pesquisadores do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) da Argentina conseguiram reconstruir as ligações genéticas entre quase 200 variedades de pêssego. O estudo analisou duas variedades selvagens e mostrou que elas têm características dos tempos coloniais. 

Além de construir árvores filogenéticas que expressam os laços e semelhanças genéticas entre amostras, pela primeira vez no país, o estudo incluiu a análise de duas variedades de pêssego e mostrou que eles têm características genética que sugere sua introdução nos tempos coloniais. Gerardo Sanchez, especialista em biotecnologia do INTA San Pedro, afirmou que "estes resultados permitem, por um lado, conhecer o potencial de variabilidade genética na coleção do instituto e, por outro lado, tomar decisões a respeito de qual par de genótipos é conveniente cruzar para alcançar os objetivos de melhoria ". 

No caso de culturas "é útil conhecer o índice de semelhança de todas as combinações de pares de variedades, uma vez que, em geral, se geneticamente materiais muito semelhantes atravessar, será obtida a descendência com variabilidade reduzida" avalia Sánchez. 

Graças à investigação, a curto prazo, você pode selecionar o pai com maior aptidão "para uma progênie mais diversificada, gerar populações de mapeamento mais adequado para identificar genes para resistência a doenças, ou alcançar uma variedade semelhante a um dos pais incorporando um personagem de outro ", explica. 

Para a análise dos dados, utilizou-se um protocolo RADseq (de "Restriction site - Associated DNA Sequencing") baseado em restrição dupla, que foi desenhado pela unidade de genômica INTA para eucalipto. Esta tecnologia sequencia uma porção do genoma, que é obtida por digestão com enzimas de restrição e, subsequentemente, a seleção de uma população de fragmentos de DNA de um tamanho particular. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink