PF apreende agrotóxicos ilegais em Rondonópolis (MT)

Agronegócio

PF apreende agrotóxicos ilegais em Rondonópolis (MT)

A apreensão foi a maior já registrada no município mato-grosense desde 2000
Por: -Marcelo Siqueira
52 acessos

A delegacia da Polícia Federal de Rondonópolis fez a maior apreensão de defensivo agrícola contrabandeado desde sua inauguração, em 2000. Foram cerca de 200 caixas agrotóxico de fabricação “made in China” apreendidas no final da tarde de ontem. A carga estava em uma carreta parada em um posto de gasolina, avaliada em R$ 260 mil.

A Polícia Federal de Rondonópolis recebeu uma denúncia anônima, no início da manhã de ontem, sobre a chegada da carreta na cidade. Quatro agentes fizeram campana no local indicado: o Posto Júlia, na saída para Campo Grande (MS), na rodovia BR-163.

De acordo com o delegado Daniel Coraça, possivelmente o motorista Valdecir Barizon, 41, que conduzia a carreta com placas JYZ-5548, de Anápolis (GO), estaria esperando alguém para a entrega. Depois de verificar o veículo, os agentes fizeram a abordagem e encontraram também adubo – carga sobre a qual Valdecir apresentou nota -, quatro pneus novos, uma caixa de whisky, quatro rádios de comunicação (PX), muito utilizado também pelas Polícias Militar e Federal, além do defensivo agrícola contrabandeado.

A informação inicial que chegou como denúncia por telefonema anônimo era de que se tratava de uma carreta que levaria drogas e armas. “Os agentes fizeram a campana, esperaram alguém chegar. Como foi demorando e ninguém veio e ele não saiu, daí foi feita a abordagem”, contou Coraça.

A apreensão de defensivo agrícola não é apenas a maior realizada em Rondonópolis, desde a inauguração da sede da Polícia Federal no município. É, também, uma das mais valiosas. São quase 200 caixas, cada uma, segundo a PF, valendo em média 600 dólares. No montante, a carga é de 120 mil dólares. No valor de compra, no comercial, o contrabando poderia ser negociado por pouco mais de R$ 260 mil.

Valdecir Barizon confessou apenas a origem do adubo. “Segundo ele, o adubo, no qual apresentou nota, foi pego no porto de Paranaguá, no Paraná”, disse o delegado.

O motorista não falou ao delegado da PF sobre a origem do defensivo agrícola, mas afirmou que a carga teria como destino uma fazenda na cidade de Barra do Bugres (localizada a 169 quilômetros de Cuiabá, no médio norte de Mato Grosso). Valdecir deveria ser encaminhado para a Cadeia Pública de Rondonópolis.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink