Plataforma Saxo diminui custos ao produtor

Agronegócio

Plataforma Saxo diminui custos ao produtor

Apenas 30% da produção no país possui proteção financeira
Por:
2141 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
O dinamarquês Saxo Bank busca por meio de custos competitivos o potencial pouco explorado dos derivativos em commodities para conquistar grandes produtores para os mercados internacionais.

O Saxo Bank se aliou à corretora Lifetime Investimentos para ofertar produtos de proteção (hedge) aos produtores na Bolsa de Chicago (CME).

"Com exceção [do derivativo] de Boi Gordo que preferimos trabalhar com a BM&FBovespa, os demais produtos são oferecidos por meio da plataforma Saxo Bank, os custos para operar [derivativo] soja na Bolsa de Chicago [CME] são atrativos", assegurou o consultor de agronegócios da Lifetime Investimentos, Vitor Carettoni.

A CME e a BM&FBovespa são sócias cruzadas em participação acionária e possuem produtos financeiros listados nas duas bolsas de valores.

Comparativo

Como exemplo aleatório, Carettoni, contou que numa operação para proteger 100 mil sacas de soja (R$ 6 milhões), a operação via plataforma da Saxo Bank fica em US$ 13 mil, enquanto na BM&FBovespa, o mesmo contrato poderia alcançar custo de US$ 20 mil, uma diferença de 35%.

Público do interior

Carettoni informou que a Lifetime já protege 3 milhões de sacas de soja via plataforma Saxo Bank, cerca de R$ 180 milhões em valor comercial, e atende 30 produtores dos estados de Goiás e Mato Grosso, e 10 compradores [avicultores]. "Cada comprador vale por 10 produtores em volume", diz.

O executivo aponta que além da soja, a consultoria está desenvolvendo os segmentos de café arábica, etanol e açúcar. "Cresce o interesse do produtor à medida que o preço da commodity cai", apontou.

Potencial a ser destravado

Na avaliação do presidente da Lifetime Agro, Fernando Katsonis, apenas 30% da produção brasileira possui algum tipo de proteção financeira. "São R$ 700 bilhões desprotegidos, há uma boa fatia do mercado a ser desenvolvido".

Segundo o diretor de estratégia para commodities do Saxo Bank, Olé Hanson, os preços de commodities estão em baixa no mercado global. "O fornecimento de muitos produtos básicos estão subindo, assim como o crescimento da demanda está diminuindo", diz.

O presidente do Saxo Bank no Brasil, Pedro Borges, disse que após um ano de atividades, sua instituição fechou 6 parcerias com "brokers" (corretoras, tesourarias de bancos e gestoras) e 200 acessos a sua plataforma que lista 300 mil produtos financeiros em 20 países.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink