Polo cajueiro de Roraima ganha força com apoio da Embrapa

FAFs

Polo cajueiro de Roraima ganha força com apoio da Embrapa

Embrapa Roraima vem dando suporte técnico para a criação de polo cajueiro no Estado, com implantação inicial no município de Normandia
Por:
24 acessos

A Embrapa Roraima vem dando suporte técnico para a criação de polo cajueiro no Estado, com implantação inicial no município de Normandia. A articulação está sendo realizada via Fóruns de Agricultura Familiar (FAFs), com o objetivo de viabilizar a cultura do caju como carro-chefe para o desenvolvimento da agricultura local.

Em Normandia, serão incorporados, inicialmente, 50 hectares de plantio de caju, com o envolvendo direto de 25 produtores. O esperado é expandir o polo também para os municípios de Bonfim, Cantá e Boa Vista, que já demostraram interesse na cultura.

Implantação em Normandia

Em janeiro deste ano a Embrapa disponibilizou á prefeitura de Normandia doze mil sementes da variedade CCP 06 de caju para porta-enxerto, que foram plantadas nos viveiros municipais. No final de março, foram entregues os garfos (enxerto) de cinco variedades de caju para enxertia nas mudas produzidas no início do ano. As variedades utilizadas para porta-enxerto e enxerto foram cedidas pela Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza-CE). O próximo passo é levar as mudas enxertadas para o campo, o que deve acontecer em maio.

Além da disponibilização de materiais de alta qualidade, a Embrapa também vem capacitando os técnicos e produtores do município para o cultivo do caju. De acordo com o Chefe-geral da Embrapa Roraima, Otoniel Duarte, o modelo de trabalho será o de propriedades diversificadas. “Teremos o caju como cultura principal, mas, nas entrelinhas, o produtor também poderá colocar outras culturas, como o amendoim, a melancia, o melão, abóbora, macaxeira e batata-doce”, revela.

O gestor explica que o polo cajueiro possibilitará a criação de agroindústrias locais, visando o beneficiamento da polpa, castanha de caju e cajuína, o que agregará valor à cadeia da fruta no Estado.

Para o produtor João Menezes, a expectativa é bastante positiva, pois conta com a efetiva participação do agricultor desde o início do processo. “O polo cajueiro foi muito discutido nos Fóruns de Agricultura Familiar. É um caminho que vai abrir portas para outros seguimentos da cadeia produtiva, como a polpa e a castanha. Com certeza, trará renda e melhoria de vida para os agricultores de Normandia”.

Conheça a cultura do caju

O caju é indicado para cultivo em regiões de clima quente e seco, com bom desenvolvimento em pequenas áreas, como chácaras e sítios. É uma cultura indicada para a agricultura familiar por se pouco exigente em termos de manejo. A forma de propagação mais comum é por enxertia.  Nesse processo, o garfo ou enxerto é a parte de cima, que vai produzir os frutos, e o porta-enxerto é a parte de baixo, que sustenta e nutri a planta.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink