Por que os moinhos baixam o preço mesmo fora de época?
CI
Imagem: Pixabay
INVERNO

Por que os moinhos baixam o preço mesmo fora de época?

“A desculpa também é de que, com a safra nova, os preços dos trigos baixam"
Por: -Leonardo Gottems

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, alguns moinhos estão perguntando se procede ou não pedidos dos seus representantes com solicitação de redução de preço das farinhas porque há moinhos grandes oferecendo farinhas a preços menores (entre 2 a 4 reais) e mostram notas fiscais. “O que acontece é que muitos compradores se abasteceram em junho/julho e agora pressionam os moinhos. E tem muitos moinhos vendendo com preços menores”, dizem os analistas. 

“A desculpa também é de que, com a safra nova, os preços dos trigos baixam, mas, não irão baixar tanto quanto se pensava por dois motivos: a) excesso de demanda: devido à praticamente nenhuma disponibilidade de safra velha e ao atraso na colheita da safra nova, que deveria começar na semana passada foi adiada pelas chuvas; b) pelas geadas e chuvas que reduziram a oferta da safra nova, embora não  saibamos quanto ainda”, completa. 

Então, os preços da matéria-prima, ou seja, o trigo novo, não deverão baixar tanto quanto se pensava. “Serão, certamente, maiores do que os poucos negócios já feitos. Em São Paulo, por exemplo, que não foi atingido pela geada, passaram de R$ 1.100/t para R$1.200/t nesta semana.  Estamos aguardando os dados sobre os danos para incluí-los em nossos cálculos matemáticos que projetarão os novos preços do trigo a partir de setembro”, indica. 

Ainda no mercado de trigo, mas desta vez do internacional, a Rússia levou sua colheita de trigo para 68,4 milhões de tons na semana até 25 de agosto, com 19,2 milhões de ha ou 65,3% da área projetada agora colhida, enquanto os rendimentos caíram pela segunda semana, mostraram dados do Ministério da Agricultura russo nesta quarta-feira. Foi o que disse a T&F. 

“A colheita de trigo avançou 5,8 pontos na semana, enquanto a média caiu 1,9%, para 3,56 t/ha. Apesar da queda nos rendimentos médios, as agências analíticas continuaram a elevar suas previsões de produção, com o IKAR aumentando sua estimativa para 82,5 milhões de t de 82 milhões de t no início da semana”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink