PR: Infraestrutura terá “voto” da agropecuária

Agronegócio

PR: Infraestrutura terá “voto” da agropecuária

Por:
1609 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
Representantes do agronegócio cobram duplicação de rodovias. Candidatos a governador prometem recuperação de estradas


O agronegócio do Paraná entra de vez na campanha eleitoral para governador nesta semana. A Federação da Agricultura (Faep) finaliza documento que resume as reivindicações do setor e vai chamar cada candidato para discussão. O foco é o lado de fora da porteira.


Os investimentos em infraestrutura estão entre as prioridades dos três concorrentes mais bem posicionados nas pesquisas — Beto Richa (PSDB), Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) —, mostram os planos de governo registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e detalhamentos obtidos com exclusividade pelo Agronegócio Gazeta do Povo. Por outro lado, os candidatos preveem ações concretas distintas.

A cobrança do setor produtivo é por projetos de logística: a duplicação de rodovias do Anel de Integração, melhorias em ferrovias e no Porto de Paranaguá. A Faep espera incrementos nos planos de governo, embora não deva apoiar abertamente nenhum partido.


Nas respostas enviadas ao Agronegócio Gazeta do Povo, Richa e Requião defendem projetos de suas gestões e comparam feitos. Já Gleisi tenta apresentar um caminho alternativo, apesar de muitas de suas propostas serem semelhantes às de seus oponentes.

Sobre infraestrutura, o atual governador diz que duplicou 244 quilômetros de estradas e que há projetos para seguir com novas obras (veja quadro com as propostas abaixo). “Somente na manutenção e recuperação de rodovias foram [investidos] mais de R$ 1 bilhão, atendendo 12 mil quilômetros de estradas”, afirma o tucano. Richa diz que pressionou também o governo federal para incluir o projeto da Maracaju-Paranaguá em um plano ferroviário nacional. “O projeto está na empresa contratada por eles para implantar o ramal.”


Requião quer construir e adequar estradas rurais para melhorar o transporte da produção e da população aos centros urbanos. “Tivemos ainda [no meu governo] o Estradas para Liberdade, que recuperou 8 mil quilômetros de estradas sem a cobrança de pedágio”, destaca. Sobre ferrovias, o peemedebista quer melhorar o trecho entre Cascavel e Guarapuava, sob gestão estadual. “A orientação é reduzir os custos para oferecer tarifas baratas a todos os produtores”, defende.

Gleisi pretende criar um Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), nos moldes do programa federal. A candidata quer também apoiar municípios a melhorar as “estradas da produção”. “Vamos priorizar e realizar obras definidas no plano de infraestrutura e logística de longo prazo nos quatro anos de governo.” A petista afirma que dará ênfase a duas ferrovias: a Norte-Sul, ligando o estado de São Paulo e Santa Catarina; e o ramal Maracaju-Paranaguá.


Porto

Para o Porto de Paranaguá, Gleisi e Richa defendem o arrendamento de áreas para ampliar a capacidade de escoamento, projeto que está nas mãos do governo federal. A candidata quer também usar recursos federais para dar mais profundidade ao canal do Porto. Já o tucano promete investir R$ 565 milhões na recuperação de piers e instalar quatro novos carregadores de navios (shiploaders).

Requião não cita propostas para o terminal em suas respostas ao Agronegócio Gazeta do Povo, apenas ressalta melhorias feitas em sua gestão, como a redução de filas de caminhões na BR-277, feito também destacado por Richa.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink