Agronegócio

Praga da cigarrinha está controlada em pastagens de Sinop (MT)

Os insetos atacam as raízes e as folhas das plantas, sugando a seiva
Por: -Tania Rauber
1 acessos

Diferente de outras regiões do Estado, em Sinop produtores ainda não estão tendo prejuízos com o ataque da praga cigarrinha-das-pastagens. Segundo o presidente do Sindicato Rural, Antônio Galvan, alguns casos isolados já foram registrados na região, mas todos foram controlados, repetindo os cenários de anos anteriores.

Galvan explica que o aparecimento da cigarrinha ocorre em três ciclos. O primeiro ocorreu há cerca de 30 dias e o próximo deve ser em fevereiro. A estimativa é que, em todo o Estado, mais de 5 milhões de hectares de pastagens já estejam infestados, afetando a produção de carne e leite.

Os insetos atacam as raízes e as folhas das plantas, sugando a seiva e provocando o amarelecimento e secamento das folhas, diminuindo a produção de massa verde, valor nutricional e deixando o capim com sabor desagradável, conseqüentemente o animal come menos e não produz o esperado.

O combate da praga é feito com veneno ou fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae (controlador biológico). Mas, segundo Galvan, a aplicação de fungo é muito cara, prejudicando ainda mais o setor. O que favorece a região é a existência de áreas mecanizadas, que facilitam o combate.

De acordo com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), um dos fatores que contribuiu para a infestação este ano foi a antecipação do período chuvoso, que começou em setembro. As áreas mais prejudicadas são de gramíneas do gênero brachiaria.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink