Preço da carne fica praticamente estável
CI
Agronegócio

Preço da carne fica praticamente estável

Na comparação com o levantamento anterior deflação foi de 0,13%
Por:
O preço da carne em Belo Horizonte se manteve praticamente estável no último mês. Na comparação com o levantamento anterior, houve deflação de 0,13%. Dos 37 cortes pesquisados, 19 ficaram mais caros e 18 mais baratos. Em fevereiro, os preços médios da carne já haviam caído 2,25% em relação a janeiro.

Dos três grupos de carnes pesquisados, somente os cortes bovinos registraram alta de 0,61%. A carne suína ficou 0,73% mais barata, em média, enquanto que partes de frango passaram a custar 0,16% menos. O acém e a fraldinha, cujos preços registraram as maiores quedas em fevereiro, lideraram a alta neste mês. O acém subiu 4,72% e a fraldinha, 3,86%. Já o filé mignon e a alcatra ficaram 2,48% e 1,07% mais baratos, respectivamente.

Entre os cortes suínos, enquanto o pernil traseiro sem osso subiu 3,82% e a salsicha a granel encareceu 1,96%, os preços do pernil dianteiro sem osso e da bisteca caíram 7,64% e 2,73%. No caso das aves, houve aumento de 2,40% no preço da coxa e sobrecoxa e redução de 3,11% na asa de frango.

O Procon Assembleia chama atenção para a diferença de preços entre um estabelecimento e outro, que pode passar dos 200%. É o caso da salsicha a granel, que registrou variação de 203,54% entre um açougue da Pampulha e outro da região Nordeste da capital. Para outros produtos também foram detectadas diferenças significativas, como 176,13% para a costela com osso e 137,67% para o músculo dianteiro.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink