Preço da soja cai com Dólar em alta

MERCADO FÍSICO

Preço da soja cai com Dólar em alta

Negociações são bastante precárias, com preço do frete totalmente indefinido
Por: -Leonardo Gottems
478 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

As cotações da soja tiveram nesta quarta-feira (04.07) um dia de baixas no mercado físico brasileiro, influenciadas pela alta do Dólar (0,45%), e sem a referência da Bolsa de Chicago (em função do feriado nos Estados Unidos). De acordo com os índices do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), apurados junto aos diversos participantes do mercado, em média os preços desceram 0,23% nos portos e 0,22% no interior do País.

Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, as lucratividades dos produtores, porém, ainda estão altas: “Na verdade, as negociações são bastante precárias, porque um dos componentes essenciais do custo, o preço do frete, ainda não está totalmente definido”. 

“Nesta quarta-feira o Ministro da Agricultura fez alguns comentários sobre o assunto, defendendo o direito dos produtores rurais que ele representa e tentando colocar um pouco de racionalidade na discussão. Afinal, se um dos elos de qualquer cadeia tem seus preços tabelados, seria justo e correto que todos os demais elos o tivessem também e isto é simplesmente impossível, porque os preços dos produtos finais subiriam tanto que os consumidores não os comprariam”, explica.

Além disso, argumenta Pacheco, a possibilidade de concorrência é que melhora a qualidade dos serviços e torna os preços mais acessíveis, além da própria sazonalidade dos produtos agropecuários, que não tem a mesma rentabilidade ao longo do ano. 

“Quanto mais se demora para decidir esta questão, pior para o País como um todo. Os economistas já acreditam que o avanço deste ano de 2018 não deverá ultrapassar 1,6%, contra os 2,5% inicialmente projetados, justamente devido à demora na solução do problema dos fretes”, conclui. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink