Preço do frango abatido é, nominalmente, igual ao de quatro anos atrás

Agronegócio

Preço do frango abatido é, nominalmente, igual ao de quatro anos atrás

Frango abatido resfriado comercializado no atacado paulista não conseguiu alcançar os picos de preço registrados nos meses anteriores
Por:
191 acessos

Naquele que, teoricamente, deveria ser o melhor mês de negócios do ano, o frango abatido resfriado comercializado no atacado paulista não conseguiu alcançar os picos de preço registrados nos meses anteriores. Bem ao contrário, o melhor preço no mês – média de R$4,06/kg registrada no dia 6 – ficou visivelmente aquém do que foi alcançado entre agosto e novembro (picos de, respectivamente, R$4,45/kg, R$4,67/kg, R$4,61/kg e R$4,29/kg) e, praticamente, se igualou ao pico de julho (R$4,04/kg). Ou seja: em valores reais (isto é, considerada a inflação), dezembro registra o pior pico de preços do segundo semestre de 2016.

Mas a constatação do baixo rendimento não se esgota aí. Pois, como aponta o gráfico abaixo, além de vir numa desvalorização quase contínua desde meados de novembro, o frango abatido alcança no momento valor nominal praticamente igual ao registrado em um idêntico período anterior. E, neste caso, o período anterior em foco não é dezembro de 2015 ou de 2014, mas de 2012 – Isto é, de quatro anos atrás.

É verdade que, naquela ocasião, o setor enfrentava problemas no abastecimento e no custo do milho muito similares aos atuais. Tanto que, às vésperas do Natal de 2012, o milho era comercializado por valor 26% superior ao registrado um ano antes - cerca de R$35,00/saca, na época um recorde que só seria superado três anos depois, em novembro de 2015. 

Mas naquele dezembro de 2012, o frango abatido conseguiu acompanhar e até superar a valorização do milho. Pois o valor médio registrado no mês – R$3,84/kg – foi mais de 30% superior ao de dezembro do ano anterior. 

A valorização, porém, ocorreu também no curtíssimo prazo. Porque entre novembro e dezembro de 2012 o frango abatido obteve reajuste de 10%, o que fez com que encerrasse o exercício com a melhor média de preços do ano.

Não é o quadro observado neste exercício. Aliás, a tendência é a de fechar-se o mês com um valor entre 4% e 5% menor que o de novembro passado e, apenas, o quinto melhor preço do segundo semestre. Quer dizer: abaixo do que foi alcançado entre agosto e novembro e muito próximo do que foi registrado no início do segundo semestre.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink