Insumos

Preço do milho afeta produção de criadores de frangos no Tocantins

O grão é usados para alimentação das aves e custo varia conforme a safra. Agricultores tiveram que diminuir tamanho das criações em até 80%
Por:
307 acessos

O preço da saca do milho está prejudicando a produção dos criadores de frangos caipiras no Tocantins. O grão é usado na alimentação das aves e também de porcos por pequenos agricultores e tem grande impacto no lucro, já que não é possível repassar todos os aumentos aos clientes. Em algumas propriedades, o tamanho da criação precisou diminuir até 80%.

É o caso da fazenda de Flávio Maia Mucci. O produtor já chegou a ter mais de mil aves ao mesmo tempo no local, hoje são cerca de 200 galinhas e frangos na propriedade e o número ainda pode diminuir. Entre o começo de 2017 e novembro, o preço da saca variou de R$ 25 até R$ 60 reais em alguns meses.

"Não tem cabimento estar criando os bichos com o milho caro demais", diz ele. "Teve uma queda, foi caindo, caindo. Chegou até R$ 25 em outubro, ficou 40 dias e começou a subir de novo". As galinhas precisam ser alimentadas duas vezes por dia. Para tentar economizar, ele negociou a compra de várias sacas por R$ 29,50 e fez um estoque na fazenda. "Daqui uns dias tá R$ 50 e ninguém da conta de comprar", explica.

Situação parecida aconteceu na propriedade de Eduardo Sakai, em Cariri do Tocantins. Ele conta que conseguiu comprar várias sacas de milho por R$ 30 cada, após pesquisar muito. "Prejudica muito a atividade, porque o frango a gente não tem como acompanhar o preço de sobe e desce do milho", diz.

Para os porcos, a alternativa foi mudar a dieta. Seu Sakai tem 15 matrizes e dois machos na fazenda e está alimentando os animais com milheto. "Pode usar-se o sorgo ou o milheto. São alternativas bem mais baratas do que o milho e consequentemente abaixa o preço da ração", diz.

A expectativa é que a área plantada de milho volte a cair na próxima safra, de 46 mil hectares para pouco mais de 40 mil hectares. A produção deve diminuir de 218 mil toneladas para 212 mil.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink