Preço do trigo sobe 30% por entressafra e alta na Argentina

Agronegócio

Preço do trigo sobe 30% por entressafra e alta na Argentina

O preço do cereal nos principais estados produtores tiveram recuperação
Por:
8 acessos

O preço do trigo nos principais estados produtores tiveram uma recuperação decorrente da entressafra brasileira e da alta da cotação na Argentina diante da escassez internacional do cereal. No mês passado, o trigo no Paraná - o maior produtor do País - foi negociada a R$ 510,00 a tonelada, cifra 30,77% maior que em igual período do ano passado e 4,08% que o mês anterior - conforme o levantamento da Safra & Mercado. O valor pago ao produtor é o melhor desde julho de 2004. No Rio Grande do Sul, a cotação do grão chegou a R$ 490,00 a tonelada, valor 40% acima do verificado em junho de 2006.

Para o analista da consultoria, Elcio Bento, a recuperação do preço do trigo só não é melhor devido à depreciação do dólar ante o real que corrói a receita do produtor quando convertida em reais. Ainda assim, o valor do grão brasileiro - que chegou a US$ 252 em junho, sendo a maior cotação desde o mesmo mês de 1996 - quando convertido em dólar é o menor que o da Argentina, considerado formador de preço para o mercado interno por ser o principal fornecedor de trigo do Brasil. Tradicionalmente, o País consome mais trigo do que produz.

Segundo Bento, o trigo argentino chegaria ao Sudoeste brasileiro a US$ 312,00, valor 60% maior que o de junho do ano passado. As compras brasileiras de trigo da Argentina para a safra 2006/07 já estão quase esgotadas e o Brasil terá de importar pelo menos um milhão de toneladas de países do Hemisfério Norte com preços maiores mediante a Tarifa Externa Comum (TEC) em 10% - tarifa de importação de terceiros países - a partir de agosto, quando as entregas do pais vizinho oficialmente serão encerradas. A tonelada de trigo dos Estados Unidos, por exemplo, chegaria ao Sudoeste brasileiro a US$ 351,00, 12,5% maior que o argentino.

Há cerca de dois meses, o Ministério da Agricultura sinalizou a intenção de reduzir a TEC pelo menos para os estados do Nordeste. Procurado novamente para saber o rumo dessa discussão, o órgão não deu retorno até o fechamento deste jornal.

A tendência segue em alta para os preços do trigo, sustentados pelos preços mundiais. Tudo indica, diz a consultoria, que os negócios futuros para a próxima safra sairão a um patamar 68% maior que o da safra anterior.

Os produtores paranaenses demonstram otimismo para os preços na próxima safra. O assessor econômica do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Robson Mafioletti, espera que o truticultor consiga vender o produto pelos menos no valor atual (R$ 447 a tonelada), recuperando o custo de produção em R$ 467 a tonelada. Entretanto, diz que a falta de chuva no Paraná está preocupando os produtores. "O pessoal está preocupado porque a produtividade vai cair significativamente", enfatiza.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink