Preços agrícolas não param de subir e puxam inflação

Agronegócio

Preços agrícolas não param de subir e puxam inflação

Os produtores vão ter preços bem mais remuneradores no primeiro semestre de 2007
Por: -Neila Baldi
1 acessos

Os produtores vão ter preços bem mais remuneradores no primeiro semestre de 2007. Em média, as cotações das principais commodities agrícolas serão até 35% superiores às registradas no mesmo período deste ano. Bom para o bolso do agricultor, ruim para o dos demais brasileiros. Estimativas da RC Consultores indicam que a inflação dos alimentos será maior (estimada em 5%) que a geral (estimada em 4,2%) no final de 2007. Bem diferente da projeção para 2006, de 1,6% e 3,3%, respectivamente.Analistas de mercado indicam o milho como "a bola da vez" - seu preço deve sofrer a maior variação na comparação com 2006. Apenas o feijão projeta cotações que podem ficar abaixo dos preços deste ano.

Para Rosemeire Cristina dos Santos, assessora técnica da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), os preços estarão mais altos devido à estabilidade do dólar e à menor oferta que a demanda dos produtos, tanto no mercado nacional quanto no exterior.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink