Preços de verduras e legumes cai 20% nas últimas semanas em Piracicaba
CI
Agronegócio

Preços de verduras e legumes cai 20% nas últimas semanas em Piracicaba

Hortaliças foram os alimentos que mais tiveram quedas
Por:
As temperaturas amenas em pleno Inverno têm beneficiado a produção de hortifrutis e aliviado o bolso do consumidor, que pode economizar em torno de 20% na hora das compras.

Alimentos como alface, rúcula e couve, entre outras hortaliças, são os que mais tiveram quedas nos preços nas últimas semanas e o maço do produto, que chegou a ser comercializado a mais de R$ 2,50, hoje pode ser encontrado por R$ 2 nos varejões da cidade.

“As verduras foram beneficiadas pelo tempo mais quente em uma época que deveria ser de frio, por isso a produção aumentou consideravelmente para essa época do ano. Em contrapartida, o consumo continua igual e até diminuiu por causa da Copa do Mundo, por isso há uma oferta maior e o preço diminuiu”, disse o comerciante Valdomiro Bueno.

Ele disse que sentiu diminuição nos preços também do tomate, que foi o vilão da inflação no começo do ano e chegou a registrar altas no começo de junho, mas agora teve retração, com queda aproximada de 20% nas últimas semanas.

Raízes como a mandioca também foram beneficiadas pelo tempo mais seco e o alimento, que custava em torno de R$ 3 o quilo, agora pode ser adquirido por menos de R$ 2.

“O que sentimos foi uma grande oscilação de preços nas últimas semanas. Alguns produtos tiveram alta, mas logo em seguida baixaram. O tomate mesmo teve mudanças grandes e havia subido no começo do mês passado, mas já teve redução de novo. Os preços em geral diminuíram”, disse a comerciante Eliete Maria da Silva.

Ela contou que chegou a pagar em torno de R$ 120 na caixa de tomate que, em poucos dias custava R$ 90. Quem vai às compras já percebeu a economia. A dona de casa Celina Medeiros, 68, disse que passou a levar mais verduras para casa.

“Senti diferença sim, embora eu não seja muito fã de salada, deu para notar reduções em geral. Os preços estão melhores que nas últimas semanas, está dando para economizar”, falou.

A agrônoma Simone Silva Vieira, 27 anos, disse que a variação, embora ajude na economia doméstica, não chega a trazer grandes reflexos em seu dia a dia.

“Como moro sozinha, costumo comprar vegetais com menos frequência, mas sempre dá para perceber as reduções e altas dos alimentos”, falou.

ATACADO — O gerente da Ceagesp em Piracicaba, Raphael Pedroso, disse que a queda no preço hortifrutis para o atacado girou em torno de 10% a 12% nos últimos dias. Ele lembrou ainda que as vendas no entreposto não têm tantas oscilações sazonais, como ocorre mais frequentemente no varejo.

“As hortaliças não sentem a estiagem, pois a maior parte delas é produzida em locais com sistema de irrigação, não tendo parada de produção, por isso a tendência é haver diminuição nos preços com a manutenção da oferta”, disse.

“Frutas como o melão, a melancia e o morango, que está em início de safra, também oferecem bons preços ao consumidor, lembrou.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink