Prefeitos/RS defendem planejamento da lavoura e uso alternativo do arroz

Agronegócio

Prefeitos/RS defendem planejamento da lavoura e uso alternativo do arroz

Uma das alternativas está na limitação da área de arroz a ser plantada na próxima safra
Por:
1243 acessos
Os prefeitos da Associação dos Municípios da Fronteira Oeste (Amfro), reunidos na manhã desta segunda-feira (23), na sede da Famurs, em Porto Alegre, com secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi e o presidente do Irga, Claudio Pereira, manifestaram preocupação na busca de uma solução para os problemas enfrentados pela crise na comercialização do arroz. Uma das alternativas apontadas está na limitação da área de arroz a ser plantada na próxima safra.


Segundo o prefeito de Barra do Quaraí e presidente da Amfro, Maher Jaber, a crise do setor orizícola pode representar uma significativa queda de arrecadação no retorno de ICMS para os municípios de pequeno porte da região, como o que ele administra, Manoel Viana e Maçambará. "Se levarmos em consideração que do orçamento geral destes municípios 30% tem origem no retorno de ICMS o estrago financeiro é imenso", declara Jaber, que administra um orçamento anual em torno de R$ 9,5 milhões.

Para o prefeito de São Borja e futuro presidente da Famurs, Mariovane Weis, uma das alternativas pode ser a delimitação do tamanho da área de arroz a ser plantada na próxima safra, articulada com uma política de incentivo a culturas alternativas como a soja, devidamente irrigada por pivôs e o milho na áreas altas. "Isso pode ocorrer paralelo a estudos que visem outras formas de utilização do arroz, como fonte de energia para produção de etanol", disse o prefeito.


Para o presidente do Irga, Claudio Pereira, o instituto só se preocupou em pesquisar a produção. "Precisamos realizar pesquisas que apontem alternativas de uso para o arroz. A produção de álcool, ração animal, farinha de arroz misturada a farinha de trigo na produção do pão, tudo isso pode vir a se tornar boas alternativas, cabe aos pesquisadores do Irga trabalharem neste sentido", disse Pereira.

Sensível aos problemas enfrentados, o secretário Luiz Fernando Mainardi propôs aos prefeitos que seja feito um levantamento sobre as perdas financeiras para os municípios, decorrentes do baixo preço de comercialização do arroz, que deverá ser levado ao governador Tarso Genro e ao Governo Federal.


"Contra a lei da oferta e da procura não existe decreto que resolva. Dentro de uma visão de combate as desigualdades regionais estamos trabalhando junto aos prefeitos para fechar uma pauta de reivindicação que contemple alternativas de desenvolvimento para a metade sul", falou o secretário.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink