Presidente da CNA quer explicações do BASA
CI
Agronegócio

Presidente da CNA quer explicações do BASA

Tema foi tratado em encontro, nesta terça-feira, em Brasília, que reuniu os senadores da Amazônia Legal
Por:
Tema foi tratado em encontro, nesta terça-feira, em Brasília, que reuniu os senadores da Amazônia Legal
A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, defendeu nesta terça-feira, em Brasília, a necessidade da diretoria do Banco da Amazônia (BASA) esclarecer os motivos que levaram à queda na aplicação de recursos pela instituição financeira nos últimos anos. O tema foi tratado nesta terça-feira, em reunião com senadores dos Estados que integram a Amazônia Legal. No encontro, os parlamentares se mostraram bastante preocupados com a burocracia adotada pelo banco, o baixo índice de liberação de recursos destinados a investimentos e a redução do montante disponibilizado para a atividade rural, entre outros pontos. “Precisamos saber que critérios o BASA tem adotado para liberar esses recursos, para quem tem emprestado e que o banco torne públicas as suas informações, assim como outros bancos fazem”, afirmou a senadora.

Segundo dados apresentados na reunião, o BASA liberou menos da metade dos recursos disponíveis para investimentos nos últimos cinco anos. No ano passado, por exemplo, o montante disponibilizado foi de apenas R$ 19,3 milhões, 23,48% da dotação do total. Em relação aos empréstimos para a área rural, o volume de recursos caiu em mais de 50%, entre 2009 e 2010, caindo de R$ 1,490 bilhão para R$ 695,3 milhões. Este montante destinado ao setor, em 2010, representa quase a metade da cifra destinada à indústria, que totalizou R$ 1,355 bilhão. Outra questão abordada no encontro foi o fato de alguns Estados da área de atuação do banco não terem sido contemplados pelos financiamentos do BASA, enquanto São Paulo foi a terceira unidade da Federação que mais recebeu dinheiro da instituição, principalmente o segmento da indústria.

Para a presidente da CNA, os pequenos e médios produtores rurais estão entre os mais prejudicados com a baixa liberação de recursos pelo BASA para a região amazônica. Ela relatou que, além da burocracia, o banco tem imposto algumas condições que dificultam os financiamentos aos agricultores. “Na hora de liberar o dinheiro, o BASA exige garantias que o produtor não tem condições de dar ou requisitos que o produtor não pode cumprir e acaba ficando sem financiamento”, disse. Além da senadora, participaram do encontro os senadores Jayme Campos (DEM-MT), Romero Jucá (PMDB-RR), Blairo Maggi (PR-MT), Valdir Raupp (PMDB-RO), Acir Gurgacz (PDT-RO) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.