Presos por fraude no leite em Teutônia (RS) conseguem habeas corpus

Agronegócio

Presos por fraude no leite em Teutônia (RS) conseguem habeas corpus

Pai e filho devem ser soltos nesta terça
Por:
1532 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Seis dias depois de serem presos, pai, filho e nora suspeitos de manter, em Teutônia, no Vale do Taquari, um esquema de adulteração de leite, conseguiram alvarás de habeas corpus. Eles devem deixar nesta terça-feira o Presídio Estadual de Lajeado. Eles eram sócios da LTV, que conforme a quinta fase da Operação Leite Compen$ado, do Ministério Público, vendeu leite para a PavLat, de Paverama.

Um dos homens havia sido preso preventivamente em maio de 2013, mas solto em setembro do Presídio de Guaporé. Durante o período em que esteve detido, no entanto, a família seguiu no esquema e a esposa passou a auxiliar nas fraudes.

De acordo com novas investigações, a quadrilha encaminhou para a PavLat cargas diárias de até 12 mil litros de uma solução de maltodextrina com soro, em vez de leite, por diversas vezes. Além disso, também cargas de leite contendo antibiótico eram descarregadas nos silos sem haver nenhuma referência à fiscalização. Depoimentos dão conta que, em um posto de resfriamento da LTV, havia uma caixa d’água de dez mil litros já com ureia contendo formol e, por dentro da parede, uma canalização levando direto para o silo onde o leite era armazenado.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink