Pró-Irrigação/RS preoara agricultores para enfrentar a estiagem
CI
Agronegócio

Pró-Irrigação/RS preoara agricultores para enfrentar a estiagem

Próximo trimestre deverá ter redução no padrão de chuva
Por:

Conforme o último boletim do Conselho Permanente de Agrometeorologia Aplicada do Estado do Rio Grande do Sul (Copaaergs), o próximo trimestre deverá apresentar redução no padrão de chuva, resultado do fenômeno La Niña, iniciado em julho deste ano no Hemisfério Sul. No entanto, um esforço do Governo do Estado vai ajudar os agricultores a enfrentar essa situação. Já são 5,3 mil microaçudes construídos ou em construção pelo Pró-Irrigação/RS, o que vai permitir o uso da água reservada pelos produtores.

Conforme o secretário da Irrigação e Usos Múltiplos da Água, Rogério Porto, os agricultores que tiverem irrigação vão fazer a diferença. "Eles não devem ter perdas na produção, em contraposto aos que não reservrama a água", afirma.

A observação do secretário, bem como os prognósticos do Copaaergs, coincide com a declaração do meteorologista norte-americano Joseph D'Aleo, criador do Weather Cannel, feita em junho em Porto Alegre, de que os produtores gaúchos precisam preparar-se para utilizar a irrigação, em razão dos efeitos do fenômeno La Niña. Para garantir a produção, a irrigação é uma ferramenta obrigatória, declarou D'Aleo.

Irrigação e empreendedorismo
Com o prognóstico de deficiência hídrica em um período crucial para o desenvolvimento das culturas de verão, o secretário Rogério Porto adverte ainda que a condição critica ocorre no verão e outono, quando de dezembro a março a quantidade de chuvas é menos do que a metade registrada no semiárido nordestino. "A diferença é que naquela região, a irrigação é utilizada desde os anos de 1800 e no Rio Grande do Sul começou a ser implantada recentemente, com exceção da que é feita para a cultura do arroz", diz o secretário.

Porém, segundo Porto, os agricultores gaúchos são empreendedores e, quando analisam uma tecnologia em funcionamento na propriedade gerando resultados positivos, eles buscam levá-la para dentro dos seus sistemas de produção. "Esse é um fator positivo", avalia o secretário.

O que diz o boletim do Copaaergs
"Análise detalhada dos modelos estatísticos indicam precipitações abaixo do padrão climatológico para os próximos meses. Para outubro, os modelos apontam para precipitações pouco abaixo do padrão na Metade Sul e Oeste do Estado. Para os meses de novembro e dezembro, as precipitações tendem a ficar abaixo do padrão em todo o Estado, especialmente em novembro".


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink