Produção de arroz diminui e o arsênico sobe no solo

ANÁLISES

Produção de arroz diminui e o arsênico sobe no solo

"Quando chegamos a 2100, estima-se que tenhamos aproximadamente 10 bilhões de pessoas"
Por: -Leonardo Gottems
661 acessos

O arroz é a maior colheita básica mundial, consumida por mais da metade da população mundial - mas novas experiências da Universidade de Stanford sugerem que, com as mudanças climáticas, a produção nas principais regiões produtoras de arroz com arsênico endêmico do solo sofrerá um declínio dramático e comprometerá o fornecimento de alimentos críticos. Esses experimentos exploram a produção de arroz em condições climáticas futuras e mostram que a produção de arroz pode cair cerca de 40% até 2100. 

"Quando chegamos a 2100, estima-se que tenhamos aproximadamente 10 bilhões de pessoas, o que significa que temos 5 bilhões de pessoas dependentes do arroz e 2 bilhões que não teriam acesso às calorias de que normalmente precisariam". disse o coautor Scott Fendorf, professor de Terry Huffington em ciência de sistemas da Terra na Escola de Ciências da Terra, Energia e Ciências Ambientais da Universidade de Stanford (Stanford Earth). "Temos que estar cientes desses desafios que estão por vir para estarmos prontos para nos adaptar", completa. 

Os pesquisadores analisaram especificamente o arroz porque é cultivado em arrozais inundados que ajudam a soltar o arsênico do solo e o tornam especialmente sensível à absorção de arsênico. Embora hoje muitas culturas alimentares contenham pequenas quantidades de arsênico, algumas regiões de cultivo são mais suscetíveis que outras. Mudanças futuras no solo devido a temperaturas mais altas combinadas com condições de inundação fazem com que o arsênico seja absorvido pelas plantas de arroz em níveis mais altos - e o uso de água de irrigação com alto teor de arsênio natural agrava o problema.  


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink