Produção de mel se destaca entre produtos da agroindústria capixaba
CI
Agronegócio

Produção de mel se destaca entre produtos da agroindústria capixaba

A estimativa é que em 2012 o setor atinja aproximadamente as 300 t
Por:

A produção de mel no Espírito Santo cresceu 30% em 2011, comparado a 2010. Foram produzidos este ano 260 toneladas do produto em 24 municípios capixabas que participam da Rede de Apicultura do Espírito Santo (Apes), programa coordenado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES) com a parceria do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

A estimativa é que em 2012, o setor continue em expansão atingindo aproximadamente as 300 toneladas de mel. No próximo ano mais oito municípios que já produzem mel devem ingressar na Rede Apes, dando ainda mais destaque a atividade na agroindústria capixaba.

O momento favorável para o setor, resultou na organização do terceiro Encontro Estadual das Associações de Apicultores, que ocorreu em julho, onde as 17 associações envolvidas com a atividade se reuniram para construir um balanço do setor apícola no Espírito Santo no primeiro semestre de 2011, além de definir um plano de metas a serem alcançadas no próximo ano, coordenando todas as partes envolvidas, do apicultor até a comercialização para o consumidor final.

Durante a GranExpoES, o setor também recebeu destaque com a realização do I Fórum de Debate da Cadeia Apícola Capixaba, onde foram discutidos temas como tributação, políticas públicas, tecnologia e inovação no setor.

De acordo com o gestor do Programa de Apicultura do Sebrae, Adriano Rodrigues, o setor apícola tem vivenciado um rápido crescimento no Estado, com avanços tecnológicos, produção diversificada, aumento de produtividade e mercado favorável. “Apesar do bom momento, a caminhada está só começando, e é necessário uma melhor organização do setor para que a apicultura continue em plena expansão, e o programa visa justamente o auxilio que o produtor precisa nessa área de gestão, além da transferência de tecnologia”, afirma.

“Mesmo com o rápido crescimento da atividade, a estimativa de produção de 300 toneladas no ano que vem é apenas a metade do potencial produtivo do Espírito Santo, que teria capacidade de alcançar aproximadamente 600 toneladas ao ano. Para isso acontecer, o produtor precisa aprimorar as técnicas de produção e utilizar métodos de novas tecnologias”, explica Rodrigues.

Apes

O projeto Rede Apes, implantado em 2007, é coordenado pelo Sebrae e conta com a parceria do Incaper, Instituto de Defesa Agroflorestal (Idaf), Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Petrobras, Fíbria e Samarco. O trabalho atende diretamente a 408 apicultores e envolve no total cerca de 1.700 pessoas.

A Rede Apes é constituída por 24 municípios, sendo eles, Aracruz, Fundão, Viana, Santa Maria Jetibá, Domingos Martins, Marechal Floriano, Afonso Claudio, Cachoeiro de Itapemirim, Iúna, Ibatiba, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Água Doce do Norte, Águia Branca, Jaguaré, Alto Rio Novo, Mantenópolis, Pancas, São Gabriel da Palha, São Domingos do Norte, São Mateus e Guarapari.

A partir de 2012, os municípios de Conceição da Barra, Barra de São Francisco, Nova Venécia, Baixo Guandu, Laranja da Terra, Santa Teresa, Muniz Freire e Castelo, começam a fazer parte do programa, totalizando 32 municípios beneficiados com o projeto.

Os municípios que possuem as maiores produções de mel são Aracruz e Fundão, cada um produzindo 35 toneladas ao ano, logo abaixo vem Colatina com uma produção de 30 toneladas. São Mateus, Domingos Martins e Marechal Floriano fecham a lista dos cinco maiores produtores do Estado com cerca de 20 toneladas ao ano, cada.

A apicultura, além da extração do mel, possibilita que o agricultor familiar confeccione produtos da agroindústria à base de mel ou da cera de abelha para aumentar o valor agregado da sua produção e com isso complementando a renda familiar através da atividade. A matéria-prima após beneficiada pode se transformar em sabonetes, velas, própolis e pão de mel.

Destaque no ES

O município de Alto Rio Novo é um dos maiores exemplos de sucesso na produção de mel. Uma associação aumentou consideravelmente sua produção, em razão do cooperativismo e da força de vontade de crescer e produzir mel de qualidade. Em 2008, os apicultores rionovenses produziram 1,5 toneladas de mel passando, em 2010, para 3,5 toneladas e, em 2011, a produção dobrou para 7 toneladas.

O investimento na atividade, que começou em 2005, vem alcançando um desempenho surpreendente nos últimos quatro anos, atingindo uma média de produção que dobra de um ano para o outro. O avanço é fruto do trabalho de capacitação que o Instituto vem desenvolvendo no setor apiário do município, junto com outras instituições. Atualmente a atividade é coordenada pelo extencionista do Incaper, Tiago dos Santos, que assumiu os trabalhos em 2008.

O envolvimento dos apicultores com a atividade no município é tanta que, em novembro de 2010, a Associação ganhou o Prêmio Destaque da Rede de Apicultores no Espírito Santo (Apes) na categoria Comprometimento. Devido ao destaque nos quesitos organização, planejamento, participação em cursos, encontros, congressos, entre outros.

Além da participação no projeto Rede Apes, o Incaper está ao lado dos 1.500 apicultores do Espírito Santo prestando serviços em assistência técnica e extensão rural, orientando os produtores de mel e seus derivados, pensando na agregação de valor e no desenvolvimento da atividade no Estado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.