Produção de sementes e mudas de seringueira tem novos padrões

Agronegócio

Produção de sementes e mudas de seringueira tem novos padrões

Por:
427 acessos

Brasília - A produção de sementes e mudas de seringueira (Hevea spp) tem novas regras. As exigências para garantir a identidade e a qualidade dos produtos estão na Instrução Normativa nº 29, publicada no Diário Oficial da União dessa quinta-feira (6) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A medida revoga a Portaria nº 388, de 15 de dezembro de 1980.

As normas tratam da documentação necessária para a produção, proporções de mudas e de hastes e incluem regras para o controle de qualidade das sementes. O coordenador de Sementes e Mudas do Ministério da Agricultura, José Neumar Francelino, acredita que as normas para cultivo podem ampliar e aperfeiçoar o comércio de seringueiras no Brasil. “Agora existem parâmetros de garantia de produção e os usuários vão comprar produtos que seguem um padrão”, comentou o coordenador.

De acordo com Francelino, os estados que mais apostam no cultivo de seringueiras são Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Goiás e Minas Gerais. A maioria dos seringais do Amazonas, Rondônia e Pará é nativa. Os produtores que atuam na comercialização de materiais de propagação de seringueira têm um ano, a partir da data de publicação da Instrução Normativa, para se adequarem.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink