Produção integrada alia redução de custos à conservação ambiental
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,112 (0,05%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)


Agronegócio

Produção integrada alia redução de custos à conservação ambiental

Atualmente, há 16 projetos de produção integrada normatizados no Brasil
Por:
757 acessos

Conservação do meio ambiente, maior produtividade, redução de custos e certificação oficial são algumas das vantagens do Sistema de Produção Integrada apontadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O coordenador de Produção Integrada, Adilson Kososki mostrou a situação desse tipo de certificação no Brasil a técnicos, produtores rurais e representantes de entidades que participam do 1º Workshop Nacional de Boas Práticas e Certificação Agropecuária, em Brasília (DF).

De acordo com Kososki, atualmente há 16 projetos de produção integrada normatizados no Brasil, incluindo abacaxi, banana, caju, caqui e citros. Estão em desenvolvimento mais 22 cadeias produtivas como ameixa, amendoim, arroz e batata. Ele explica que o sistema foi adotado no País pelos produtores de maçã, a partir de 2001, por exigência de certificação de mercados como o europeu. O sistema garante ao consumidor um alimento seguro e com qualidade diferenciada ao produtor. Além disso, diminui o consumo de água, energia, fertilizantes e agrotóxicos, contribuindo para menor impacto ao meio ambiente.

Dados do Ministério da Agricultura comprovam que o sistema possibilitou a redução de 100% na aplicação de fungicidas e inseticidas na plantação de arroz irrigado e de 50% no plantio da batata. A certificação da produção integrada também favoreceu o ganho de 100% na produtividade de batata e café e, de 50% no cultivo de maçã. Kososki diz que o sistema pode reduzir em até 25% os custos de produção.

Para o diretor de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do Ministério da Agricultura, Sávio Mendonça, existe um grande mercado para produtos com esse tipo de certificação. “Pesquisa da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) mostra que, até 2050, a produção mundial de alimentos deverá dobrar para atender à demanda e essa é uma grande oportunidade para o Brasil acessar novos mercado”, explica.

O diretor informa que o País dispõe de tecnologias sustentáveis, para o atendimento aos clientes que exigem produtos certificados e o crédito facilitado. Ele mencionou iniciativas como o Programa de Incentivo à Produção Sustentável do Agronegócio (Produsa), que nesta safra 2010/2011, tem um R$ 1 bilhão a juros que variam entre 5,75% e 6,75% ao ano, para financiar recuperação de áreas degradadas e promover o uso de técnicas agrícolas eficientes de preservação do meio ambiente.

O workshop segue até o final da tarde desta terça-feira, 24 de agosto, no edifício-sede da Conab. Técnicos do governo e produtores irão discutir a situação atual da produção de frutas, hortaliças, grãos e as perspectivas de mercado para esses produtos.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink